Projeto Araucária já plantou cerca de 45 mil mudas em municípios do Oeste

Cinquenta visitas de monitorias foram realizadas no último quadrimestre para o acompanhamento das atividades

Por Oeste Mais

29/07/2015 11h52 - Atualizado em 17/04/2020 14h39



O Projeto Araucária na região Oeste já é responsável pelo plantio de aproximadamente 45 mil mudas de árvores nativas ao longo de dois anos de desenvolvimento em sete municípios, incluindo Ponte Serrada e Passos Maia.

No último quadrimestre foram realizadas 50 visitas de monitoria em propriedades atendidas para verificar a recuperação, conservação e reconversão produtiva de importantes fragmentos florestais da Mata Atlântica, a partir do isolamento de áreas e o plantio das mudas. “A visita de monitoria é um momento gratificante de ambas as partes. A equipe verifica o trabalho planejado em fase de concretização e o agricultor pode exibir com orgulho o trabalho realizado”, aponta Marluci Pozzan, técnica do projeto.

Além de Ponte Serrada e Passos Maia, as atividades são desenvolvidas em Galvão, São Domingos, Abelardo Luz, Guatambu e Chapecó. A ação é conduzida pela Associação de Preservação do Meio Ambiente e da Vida (Apremavi), patrocinada pela Petrobras por meio do programa Petrobras Socioambiental.

Até chegar ao momento das monitorias, diversas atividades foram realizadas durante dois anos de execução do projeto, entre elas reuniões de mobilização e inscrição dos agricultores interessados dos municípios envolvidos, além de planejamento ambiental da propriedade com identificação das áreas a serem trabalhadas e metodologia adotada, chegando até a entrega de arames e mudas.

Entre as mudas utilizadas na recuperação das áreas estão jabuticaba, araçá, canela, bracatinga, açoita-cavalo, aroeira, canafístula, canjerana, ipê, peroba e guabiroba. Também foram plantados pés de pau-andrade, louro-pardo, louro-cravo, camboatá, cereja, pitanga e goiaba, além de outras espécies. Destaca-se também o plantio de erva-mate, espécie nativa de grande importância econômica para a região.





COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.