Pelo menos 16 mortes são registradas em rodovias catarinenses durante feriado

De acordo com a PRF e a PMRV, 146 acidentes ocorreram somente nos dois primeiros dias de maio

Por Oeste Mais

03/05/2015 21h04 - Atualizado em 17/04/2020 14h39



O feriado de 1º de maio foi mais violento nas rodovias de Santa Catarina comparado com o mesmo período do ano passado. Foram 16 mortes registradas, contra dez do mesmo período em 2014, quando foram quatro dias de feriado - neste ano só foram três. Nove vítimas fatais em rodovias federais e sete nas estaduais.

A região do Vale do Itajaí teve sete mortes entre sexta-feira e domingo. Três pessoas perderam a vida em acidentes na BR-470, inclusive a 15ª vítima - um motociclista que morreu na manhã deste domingo, dia 3, em Gaspar.

Ele colidiu de frente com uma carreta que vinha no sentido contrário pela BR-470. Sérgio Ricardo Pereira, de 39 anos, dirigia uma moto com placa de Blumenau. A batida aconteceu por volta das 10h50, no km 48,6, perto do limite entre Gaspar e Blumenau.

A SC-370, na região de Gravatal, também registrou três mortes durante o feriado. Na manhã de sábado, dia 2, um homem de 46 anos, que dirigia um Fiat/Elba com placas de Braço do Norte, morreu ao colidir de frente com um caminhão, com placas de Tubarão, no km 168.

Na sexta-feira, dia 1º, também na SC-370, no km 169, próximo ao limite com o município de Tubarão, dois homens morreram após um grave acidente.

No sábado um homem de 32 anos ainda morreu atropelado por um caminhão na BR-101, em Santa Rosa do Sul. Três ciclistas também morreram envolvidos em acidentes nas rodovias federais durante o fim de semana.

Balanço

O balanço oficial da PRF/SC do feriado de 1º de maio deve ser divulgado nesta segunda-feira. Nos dois primeiros dias do feriado foram contabilizados pela Polícia Rodoviária Federal e Polícia Militar Rodoviária 147 acidentes e 115 feridos em Santa Catarina.


Com informações do Diário Catarinense


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.