Novo relatório da Dive confirma mais de 900 casos de dengue em SC

Números atualizados sobre a doença foram divulgados nesta terça

Por Oeste Mais

31/03/2015 21h20 - Atualizado em 17/04/2020 14h39



Chegaram a 917 os casos de dengue confirmados em Santa Catarina neste ano. Um novo boletim foi divulgado pela Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Dive) nesta terça-feira, dia 31, informando que de 1º de janeiro a 31 de março o estado já registrou 759 casos autóctones (transmissão dentro do estado) e 54 importados (transmissão fora), além de 104 casos ainda investigados para definir o local de transmissão. Outros 2.147 foram descartados por apresentarem resultado laboratorial negativo para dengue.

Todos os casos transmitidos dentro de Santa Catarina ocorreram em Itajaí. Os dados até o momento apontam que o pico da transmissão ocorreu na semana de 8 a 14 de fevereiro, com 124 registros.

Vários municípios do Oeste estão na lista dos considerado infestados pelo mosquito Aedes aegypti. Segundo a Dive, até agora foram registrados 3.179 focos do transmissor da doença. Os municípios de Balneário Camboriú, Chapecó, Coronel Freitas, Guarujá do Sul, Guatambu, Itajaí, Itapema, Joinville, Palmitos, Passo de Torres, Pinhalzinho, Planalto Alegre, São Miguel do Oeste, Serra Alta, Xanxerê e Xaxim são considerados infestados.

Orientações:

• Evite usar pratos nos vasos de plantas. Se usar, coloque areia até a borda;
• Guarde garrafas com o gargalo virado para baixo;
• Mantenha lixeiras tampadas;
• Deixe os depósitos para guardar água sempre vedados, sem nenhuma abertura, principalmente as caixas d’água;
• Plantas como bromélias devem ser evitadas, pois acumulam água;
• Trate a água da piscina com cloro e limpe uma vez por semana;
• Mantenha ralos fechados e desentupidos;
• Lave com escova os potes de comida e de água dos animais no mínimo uma vez por semana;
• Retire a água acumulada em lajes;
• Dê descarga no mínimo uma vez por semana em banheiros pouco usados;
• Mantenha fechada a tampa do vaso sanitário;
• Evite acumular entulho, pois podem se tornar locais de foco do mosquito da dengue.



COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.