Catarinenses que vivem na fronteira buscam postos da Argentina para abastecer

Conforme ANP, a média do preço da gasolina no estado fica em R$ 3,32

Por Redação Oeste Mais

12/02/2015 16h16 - Atualizado em 17/04/2020 14h39



O reajuste no preço dos combustíveis tem feito a população mudar alguns hábitos, seja na hora de usar o carro ou na de abastecer. No Oeste catarinense, alguns motoristas cruzam a fronteira do país para abastecer na Argentina.

Na fronteira com a Argentina, a concorrência fez diminuir o movimento em Dionísio Cerqueira. "A gente percebe que o povo costuma buscar um preço melhor", afirmou Luís Ernesto Leowenthel, administrador de posto.

Depois do último reajuste, no lado brasileiro da fronteira, o valor da gasolina foi a R$ 3,37. Menos de um quilômetro de distância, em território argentino, a redução é de quase R$ 1. Na cidade de Bernardo de Irigoyen, o litro da gasolina é vendido a R$ 2,47.

Segundo a Agência Nacional de Petróleo (ANP), a média do preço da gasolina no estado é de R$ 3,32. Conforme reportagem da RBS TV, é mais alta que as médias brasileiras e da região Sul. Segundo os dados da ANP, a variação média de preços pode chegar a R$ 0,55 no estado.

A presença dos brasileiros em postos argentinos cresceu ainda mais depois do aumento dos combustíveis. "Para mim, vale totalmente a pena abastecer na Argentina", comentou o motorista Ronaldo Zanella, que utiliza o carro para trabalhar.

Procon vai notificar possível abuso de preços

Com o objetivo de verificar possível abuso nos preços praticados ao consumidor final, o Programa Municipal de Defesa dos Direitos do Consumidor (Procon) de Balneário Camboriú, no Litoral Norte catarinense, está notificando os postos de combustíveis do município.

O Procon solicitou aos estabelecimentos, que enviem as cópias da nota fiscal de compra de gasolina e diesel, nota fiscal de venda ao consumidor e também do Livro de Movimentação de Combustível (LMC). Os documentos, devem conter os dados registrados desde outubro de 2014 até agora.

A diretora do Procon no município, Ornella Amaya, disse que a partir da análise desses dados será possível verificar se há abuso nos preços.

Pesquisa comprova aumento abusivo em Joinville

Em Joinville, no Norte do estado, o Procon iniciou na tarde de quarta-feira, dia 11, a notificação de postos de combustíveis por aumento abusivo nos preços. Uma pesquisa feita pelo órgão constatou que 56 dos 102 postos fiscalizados estavam com preços elevados, chegando a R$ 0,50 de aumento para cada litro de gasolina comum.

Os 56 postos devem ser notificados até a próxima semana, estima o gerente do Procon, Kleber Degracia. Eles terão prazo de 10 dias para apresentarem informações.

Após a análise destes dados, o órgão pode emitir autuação e multa aos estabelecimentos por infração ao Código de Defesa do Consumidor.

O Procon realizou pesquisa de preço dos combustíveis na semana passada, nos dias 5 e 6 de fevereiro, e comparou com o levantamento anterior, feito nos dias 8 e 9 de dezembro.


G1/SC


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.