Casas rurais devem começar a ser construídas em dois meses em Passos Maia

Reunião na última semana formou comissões para acompanhamento da obra e de liberação dos recursos

Por Oeste Mais

02/05/2013 10h30 - Atualizado em 17/04/2020 14h39



Uma reunião realizada na última semana, com agricultores familiares do município de Passos Maia, deu sequência aos encaminhamentos para a construção de novas moradias rurais no município. O encontro teve a presença do prefeito Ivandre Bocalon (Evandro), técnicos da Cohab e do município, além de beneficiários do Programa Nacional de Habitacional Rural (PNHR), através do Programa Minha Casa Minha Vida.


O objetivo do encontro foi definir as próximas etapas e prestar esclarecimentos sobre o programa, como a formas de construção das moradias e o valor não reembolsável que será repassado (R$ 28.500,00) para a construção de cada casa. Serão 20 famílias beneficiadas com as novas moradias.


O município dará todo o suporte para a edificação das unidades habitacionais, auxiliando, inicialmente, na terraplanagem e acompanhamento técnico e fiscalização das obras. A equipe da Secretaria de Desenvolvimento Social também irá desenvolver um projeto social com as famílias.


Alessandra Cletenberg, diretora de Operações da Cohab em Florianópolis, destacou a importância da parceria entre as esferas de governo. Ela disse que agora a documentação das famílias irá para a Caixa Econômica Federal para a confecção dos contratos. A previsão é de que as construções sejam iniciadas em dois meses. “Pretendemos que até o fim do ano as famílias estejam morando em suas novas casas”, estimou.


O prefeito comemorou a liberação dos recursos e a viabilização do projeto. “A habitação rural está entre as prioridades e os compromissos da nossa gestão”, disse. Ele também anunciou que um novo grupo será organizado nos próximos meses, já que existe a sinalização da liberação de mais recursos para o setor, inclusive para os assentamentos rurais, que até então não estavam incluídos no Programa Minha Casa Minha Vida. “Trata-se de uma boa notícia, já que a questão habitacional nos assentamentos rurais é um dos grandes desafios da nossa gestão”, completou Evandro.


A reunião também serviu para a criação da Comissão de Acompanhamento da Obra e Comissão de Acompanhamento da Destinação dos Recursos. Estas comissões são requisitos para que a Caixa Econômica Federal possa liberar os recursos.


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.