Concordiense Darlan Romani é eleito o melhor do atletismo brasileiro em 2019

Atleta receberá o troféu pelo segundo ano consecutivo na cerimônia do Prêmio Brasil Olímpico, no dia 10 de dezembro

Por Oeste Mais

04/11/2019 15:08 - Atualizado em 04/11/2019 15:08



O concordiense Darlan Romani, recordista sul-americano do arremesso do peso, foi eleito o melhor representante do atletismo na temporada 2019. A informação foi dada na última sexta-feira, dia 1º, pelo Comitê Olímpico do Brasil (COB).

 

O atleta receberá o troféu pelo segundo ano consecutivo. A cerimônia do Prêmio Brasil Olímpico será no dia 10 de dezembro, na Cidade das Artes, no Rio de Janeiro.

 

Darlan foi campeão brasileiro, sul-americano, pan-americano, mundial militar e terminou em quarto lugar no Mundial de Doha, sendo uma das estrelas da melhor prova de índice técnico da história da competição.

 

Logo em junho, durante a etapa da Liga Diamante, o Prefontaine Classic, em Stanford, nos Estados Unidos, ele quebrou três vezes o recorde sul-americano, terminando com 22,61 m, quarta marca no Ranking Mundial da IAAF de 2019. Ele melhorou em 61 centímetros o seu recorde anterior.

 

No Mundial de Doha, o principal evento do atletismo, o atleta de 28 anos, nascido em Concórdia, duelou com o norte-americano Rayn Crouse, campeão olímpico no Rio-2016, e o neozelandês Tomas Walsh, campeão mundial em Londres-2017, até o quinto arremesso. E com a marca de 22,53 m tinha o terceiro lugar no pódio até o norte-americano Joe Kovacs, que vinha em quarto lugar e não tinha arremessado ainda acima de 22 m, surpreender e ficar com a medalha de ouro, com a incrível marca de 22,91 m na sua última tentativa – recorde do campeonato.

 

Rayn Crouse ganhou a medalha de prata, com 22,90 m, também no último arremesso, sua melhor marca pessoal. Tomas Walsh, da Nova Zelândia, levou o bronze, com 22,90 m, recorde da Oceania. Darlan acabou ficando com a quarta colocação, com 22,53 m (marca com que seria campeão olímpico no Rio 2016).

 

Darlan foi campeão brasileiro, sul-americano, pan-americano, mundial militar e terminou em quarto lugar no Mundial de Doha (Foto: Divulgação/Wagner Carmo)

Com informações do CBTA


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.