Atleta do Oeste conquista ouro nos Jogos Pan-Americanos e quebra recorde no arremesso de peso

Natural de Concórdia, Darlan Romani tem os seis melhores arremessos dos Jogos de Lima

Por Oeste Mais

08/08/2019 09:51 - Atualizado em 08/08/2019 09:54



O concordiense Darlan Romani conquistou nesta quarta-feira, dia 7, a medalha de ouro para o Brasil na prova de arremesso de peso nos Jogos Pan-Americanos disputados em Lima, no Peru. Ele ainda quebrou o recorde da competição.

 

A medalha de ouro já estava garantida, mas Darlan ainda tinha mais um arremesso para escrever de vez o nome na história dos jogos. Ele conquistou no último arremesso o recorde do Pan, com a marca de 22,07m.

Darlan Romani comemora o ouro no arremesso de peso (Foto: Washington Alves/COB)

O gigante de 1,90m e 155 kg fez parecer fácil arremessar uma bola de ferro e chumbo de 7,26 kg. Ele ficou com mais de um metro de vantagem para o segundo colocado, o americano Jordan Geist (20,67). O mexicano Uziel Muñoz Galarza completou o pódio com 20,56m.

 

“Não foi uma semana fácil, mas batalhei bastante. Ontem quase pedi dispensa. Minha esposa me segurou. Por mim teria pedido baixa. A noite anterior foi péssima. Tive febre. Troquei sete vezes de camiseta, porque suava muito. Desidratei. Tive infecção na garganta quando cheguei a Lima”, contou após a prova.

 

“Minha esposa veio do Brasil cuidar de mim. Saí da Vila. Fui a um hotel. Acho que houve um erro de logística, porque viajei 29 horas. Tomei antibiótico, mas os resultados estão aí. Várias pessoas acreditaram em mim quando eu já não acreditava nesta semana. A gente batalha bastante. Superei os 22m de novo. É muito gratificante”, completou.

Darlan Romani quebra recorde na final do arremesso de peso do Pan de Lima 2019 (Foto: Wagner Carmo/Panamerica Press/CBAt)

Recorde quebrado

 

Campeão em Toronto 2015, o jamaicano O'Dayne Richards apenas viu seu recorde pan-americano de 21,69m ser pulverizado. Foi o quinto colocado em Lima, com 20,07m. Nem ameaçou Darlan, que teve as seis melhores marcas da prova. Além do arremesso de 22,07m, ele teve uma sequência progressiva de 20,81m, 20,92m, 21,19m, 21,16m e 21,54m. Todos melhores do que os 20,67m que deram ao americano Jordan Geist a prata em Lima.

 

Conquista inédita para o Brasil

 

Antes de Darlan, o Brasil só tinha conquistado um bronze no arremesso do peso masculino. Nadim Marreis foi ao pódio na primeira edição dos Jogos, em Buenos Aires 1951. Com o recorde em Lima, Darlan ratifica o índice para a Olimpíada de 2020. Ele também confirma a posição de destaque no arremesso de peso, ganhando moral para o Mundial de Doha, no fim de setembro, quando vai buscar sua primeira medalha da competição.

Com informações do Globo Esporte


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.