Simone Ponte Ferraz fica em último em bateria dos 3.000m com obstáculos

Atleta natural de Ponte Serrada competiu na noite deste sábado nas Olimpíadas de Tóquio

Por Oeste Mais

31/07/2021 22h39 - Atualizado em 01/08/2021 09h27



Simone disputa 3.000m com obstáculos nas Olimpíadas de Tóquio (Foto: Wagner Carmo/CBAt)

A atleta natural de Ponte Serrada, Simone Ponte Ferraz, ficou na 14ª e última colocação da sua bateria na prova dos 3.000 metros com obstáculos disputada na noite deste sábado, dia 31, manhã no Japão, nas Olimpíadas de Tóquio.

 

Winfred Mutile, do Bahrein, ficou em primeiro lugar, com Chemutai, de Uganda, na segunda colocação, e Emma Coburn, dos Estados Unidos, em terceiro lugar. A final da prova está marcada para a próxima quarta-feira, dia 4 de agosto, às 8 horas da manhã.

 

“Eu estava bem preparada para fazer a minha melhor marca pessoal, treinei muito bem, infelizmente, não estava no meu dia. A minha prova, 3.000 com obstáculos, é uma prova fortíssima, muito disputada. O pelotão da frente já largou forte e eu demorei pra acertar as passagens e entrar na prova”, disse Simone em entrevista ao SporTV, logo após a corrida.

 

Foram três baterias dos 3.000m com obstáculos disputadas para definir os finalistas da prova feminina. Dos 41 atletas que correram, Simone fechou na 38ª posição geral, com a marca de 10min00s92. A outra brasileira que disputou a prova, Tatiane Raquel da Silva, atual campeã do país, ficou em 28º lugar, com a marca de 9min36s43. As duas não se classificaram para a final.

Simone fechou prova com tempo de 10min00s92 (Foto: Wagner Carmo/CBAt)

A ponteserradense, que mora já há cerca de 20 anos em Jaraguá do Sul (SC), declarou ainda que as condições climáticas, com o calor intenso, também acabaram interferindo, mas deu o melhor na competição.

 

“Pra mim que sou uma atleta, vamos dizer assim, estranha, desconhecida,  muito feliz por estar nos Jogos Olímpicos porque eu fui até o último minuto pra conquistar essa vaga”, completou, garantindo que vai seguir se preparando para os próximos jogos olímpicos.

 

"Paris é logo ali. Quero estar muito mais preparada em Paris, daqui a três anos, porque, na verdade, eu estava fazendo uma periodização pra representar o Brasil na maratona, e infelizmente, em virtude da pandemia, fui para os 3.000 com obstáculos [...]. Então agora, tenho tempo pra lapidar, e podem ter certeza que vocês vão ouvir o nome de Simone Ponte Ferraz muitas vezes, se Deus quiser, nos jogos de Paris”.

Atleta pretende estar nos Jogos de Paris, em 2024 (Foto: Wagner Carmo/CBAt)

Simone embarcou para o Japão ainda no dia 16 de julho. Até conquistar o sonho se participar das Olimpíadas, a carreira da atleta começou a se desenhar quando ela ainda tinha 11 anos de idade. Na quinta série  do ensino  fundamental, na Escola Belermino Dalla Vechia, em Ponte Serrada, Simone começou a praticar o atletismo incentivada pela professora de educação física Janice Giassi.

 

“Eu comecei treinar a Simone em 2001, eu nunca esqueço que ela me pediu para fazer o salto em distância, pois ela já praticava o esporte, eu falei: ‘vamos tentar’, e quando ela saltou, eu vi que ela não tinha o perfil para o salto, ela começou a chorar e eu disse para ela tentar a corrida, e logo que fomos para pista de atletismo, eu me surpreendi, a Simone deu 20 voltas ao redor do campo e não cansou, a partir dali eu disse para ela ‘você vai correr’”, contou Janice em uma entrevista ao Oeste Mais.

“Não estava no meu dia”, disse Simone após a prova (Foto: Wagner Carmo/CBAt)

COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.