Da maratona aos 3.000 metros com obstáculos: a trajetória de Simone até a convocação às Olimpíadas

Atleta natural de Ponte Serrada vai representar o Brasil nos Jogos Olímpicos do Japão

Por Oeste Mais

02/07/2021 08h01



Simone Ponte Ferras está nas Olimpíadas de Tóquio (Foto: Divulgação)

O sonho alimentado desde o início da carreira se tornou realidade para Simone Ponte Ferraz nesta quinta-feira, dia 1º. A data foi marcada pela convocação da atleta, natural de Ponte Serrada, para integrar a delegação da Confederação Brasileira de Atletismo nos Jogos Olímpicos de Tóquio, no Japão.

 

Na fanpage oficial da SPF Running, empresa de Simone que oferece treinos à distância para todo o Brasil e aulas de corrida presenciais em Jaraguá, Guaramirim e Massaranduba, um texto detalha a trajetória dela até as olimpíadas. De acordo com a postagem, foram cinco anos de preparação.

 

“O Projeto SPF Tóquio 2020 (e que virou 2021), iniciou logo após o término das Olimpíadas do Rio em 2016, onde uma força-tarefa composta de patrocinadores e profissionais da mais competente equipe multidisciplinar já criada em SC acreditaram que a ‘garota de ouro do atletismo catarinense’ poderia vir a se tornar uma atleta olímpica”.

 

Simone é a maior campeã das corridas de rua da atualidade no estado de Santa Catarina, dos 5 e 10 km, meia-maratona e maratona e nas pistas de atletismo, dos 1.500m e 5.000m rasos, além dos 3.000m com obstáculos.

 

Da maratona aos 3.000 metros com barreiras

 

A escolha inicial de Simone para buscar índice aos jogos era pela maratona, devido à aposentadoria de algumas maratonistas do Brasil, uma bem-sucedida estreia na Maratona Internacional de São Paulo e um índice olímpico realista de ser alcançado em um ciclo de quatro anos.

 

Mas a pandemia mudou o curso de tudo. Simone, que havia se tornado atleta Pan-Americana em 2019 e conquistado a medalha de bronze no Campeonato Sul-Americano de Atletismo em Lima no mesmo ano pela prova dos 3.000m com obstáculos, visualizou uma grande oportunidade.

Simone vai disputar 3.000m com obstáculos nas Olimpíadas do Japão (Foto: Divulgação)

Com o cancelamento de todas as maratonas no planeta devido à pandemia, não foi possível disputar as provas para obtenção do índice olímpico. Mas a prova dos 3.000m com obstáculos, da qual Simone já detinha o recorde absoluto catarinense, tornou-se a grande oportunidade.

 

Ela então se voltou para a pista de atletismo, mudou o foco e recomeçou. A marca de 9m30s não havia como ser atingida em tempo hábil, mas o ranking internacional de pontos da World Athletics era viável, colocando Simone entre as possíveis atletas convocadas pelo Comitê Olímpico Internacional.

 

E o sonho, esforço e foco foram recompensados nesta quinta-feira, com a convocação para as Olimpíadas. “A emoção que estou sentindo é indescritível. Olho para trás e vejo todas as dificuldades que tive como pessoa. A luta foi grande e sempre usei o esporte como ferramenta para melhorar como cidadã”, disse a atleta de 31 anos.

 

“Quando cumpri a missão de estudar, foi quando entendi que o esporte ia além disso. Sempre continuei e segui em frente pelo amor ao esporte. A ficha ainda não caiu pela convocação. Nos próximos dias, quando viajar, estiver no Japão, vou poder mensurar a grandiosidade dessa conquista. É muito difícil chegar lá. Me dediquei até o último minuto e é um momento mágico, indescritível”, concluiu.


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.