Chamada de ‘Pelezinho’, menina de Ponte Serrada se destaca pelas habilidades no futebol

Schaiely Fonseca tem 13 anos e já teve a experiência de participar do time base da Chapecoense

Por Kiane Berté

18/02/2020 08h14 - Atualizado em 17/04/2020 14h39



Schaiely tem 13 anos e é grande promessa no esporte (Foto: Arquivo pessoal)

Vinda de uma família de atletas amadores, Schaiely Luiza da Fonseca, de 13 anos, passou a trocar a sapatilha por chuteira desde muito nova. A menina, chamada de ‘Pelezinho’ pelos colegas de escola, desde a infância se dedica em treinos e competições que participa em Ponte Serrada e na região.

 

Ela passou a infância vendo o pai jogar futebol em campeonatos amadores e desde nova sentia vontade de fazer o mesmo, sendo que até jogava com o pai nas peladas com os amigos.

 

Schaiely conseguiu seguir os passos do pai e já se considera uma verdadeira campeã. Isso porque, por ser muito habilidosa, teve a oportunidade de entrar para o time base da Chapecoense, neste mês de fevereiro.

 

"Foi uma experiência maravilhosa, eu aprendi muitas coisas que com certeza vou levar para a vida toda. Todas as meninas eram muito legais, parceiras, jogavam muito e tudo que eu vivi com elas foi uma experiência ótima", relembra a jovem.

 

Apesar de passar pouco tempo lá por não ter se adaptado à nova rotina, a menina pôde ter a experiência de estar entre verdadeiras jogadoras e promessas no futebol.

 

“O esporte significa muito pra mim, não tem explicação. Eu amo jogar bola, sempre que estou com problemas, procuro jogar bola, porque é uma coisa que me alivia muito, e eu amo futebol”, comenta.

Colegas de Schaiely no final de uma partida (Foto: Arquivo pessoal)

Schai é de Ponte Serrada e vive com a mãe, o pai, duas irmãs e um irmão, mais velhos, no bairro São Sebastião. “Ela sempre se destacou por ser habilidosa, ainda mais na idade que está e por ser menina”, comentou a irmã mais velha, Maieli.

 

A jovem chegou a treinar algumas vezes pelo Departamento de Esportes de Ponte Serrada, mas por pouco tempo. Ela também participou de campeonatos escolares, e foi aí que Schaiely pôde entrar no Campeonato de Futebol Suíço da cidade, participando do time feminino, no qual a irmã Maieli estava.

 

“No primeiro momento eu não queria que ela jogasse, porque era um campeonato aberto e tinham muitas mulheres”, disse Maieli, com medo que a irmã mais nova se machucasse em campo.

 

O time era formado por mulheres mais velhas e Schaiely foi a mais nova a entrar. Apesar do medo da irmã, ocorreu tudo bem no jogo e elas ainda conseguiram ficar em primeiro lugar. Segundo Maieli, foi nesse jogo que os amigos puderam notar as habilidades e o talento da menina no esporte.

Menina teve a oportunidade de participar do time base da Chape (Foto: Arquivo pessoal)

O irmão Everton, de 25 anos, foi o grande incentivo para que a jovem entrasse no futebol. Era ele quem levava a menina aos jogos e dava o maior apoio em tudo.

 

“Para mim é muito gratificante ver minha irmã fazendo o que mais gosta, quebrando algumas barreiras e 'pré-conceitos' de que futebol é coisa de homem. Seguir a carreira no futebol sempre foi meu sonho de moleque, mas o tempo mostrou que ela quem nasceu com o dom, não eu”, brinca Everton.

 

Schaiely ainda joga com a irmã Maieli no campeonato de campo e suíço da cidade, e continua se destacando em cada jogo, deixando não só a família feliz, mas ela mesma por estar conquistando o espaço dentro do esporte.

 

“Eu considero ela uma excelente atleta, com um vasto currículo, jogando campeonatos de igual para igual com mulheres adultas e sempre se destacando”, finalizou Maieli.


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.