Chapecoense passeia em Xanxerê e faz 4 a 1 no Avaí

Com dois gols, atacante comandou o time líder do Catarinense

Por Oeste Mais

24/01/2013 07h19 - Atualizado em 17/04/2020 14h39



A estreia diante de sua torcida no Campeonato Catarinense não poderia ter sido melhor para a Chapecoense. Jogando em Xanxerê, no Estádio Josué Annoni, o time do Oeste não tomou conhecimento do Avaí e, com direito a "Olé" no segundo tempo, passeou na noite desta quarta-feira. Comandada pelo artilheiro Rodrigo Gral, que marcou duas vezes, o Verdão fez 4 a 1 sobre um Leão absolutamente perdido em campo. Diego Felipe e Bruno Rangel marcaram os outros gols do Verdão, enquanto Marquinhos diminuiu de pênalti no final.


Com o resultado, a Chape assume a liderança do Estadual, com seis pontos e saldo de gols maior que o do Metropolitano, que têm a mesma pontuação. O time visita o Figueirense no Scarpelli no domingo, pela 3ª rodada. Já o Avaí, com 3 pontos, termina a rodada na quinta colocação e, na sequência, terá mais um compromisso fora de casa, no domingo, contra o Criciúma, no Heriberto Hülse.


Chape passeia e torcida vibra em Xanxerê


O Avaí entrou em campo com mudanças em relação à equipe que estreou na competição, contra o Atlético-IB, no sábado. Regularizado e liberado para o duelo, Dinélson vestiu a 8 e ocupou a vaga de Danilo. Assim, Rodriguinho foi deslocado para a função de principal homem de referência da equipe. Com o meio de campo mais povoado, o Leão fez o que Sérgio Soares pediu durante a semana e tentou rodar a bola. No entanto, a equipe encontrou dificuldades para criar.


A Chapecoense aproveitou o fator torcida e, antes que o Avaí tomasse conta do jogo, tratou de mostrar o cartão de visita. Aos 15 minutos, o artilheiro do time entrou em ação para mostrar como as coisas funcionam no Josué Annoni. Após receber cruzamento da esquerda de Fabinho Gaúcho, Rodrigo Gral mostrou oportunismo e, de carrinho, escorou para o fundo do gol. Festa da torcida do Verdão na nova casa.


O Avaí sentiu o gol e demorou a se reencontrar na partida. Com dificuldades para trocar passes no ataque, o time azurra tentou igualar o jogo nos chutes de longe. A primeira finalização a gol veio aos 28 minutos, com Nádson, mas Nivaldo agarrou sem problemas. Logo depois, foi a vez de Rodriguinho arriscar e parar no goleiro da Chapecoense.


Se os visitantes não trocavam mais de três passes sem errar, os donos da casa faziam o oposto e, com a bola nos pés, tomavam conta da partida. Aos 30, Ronaldo Capixaba, ex-Avaí, acertou uma bomba na trave e deixou o torcedor avaiano apreensivo. Dois minutos depois, não teve jeito. Em contra-ataque fulminante, Diego Felipe ampliou a vantagem dos donos da casa. O volante, que havia marcado dois na estreia da Chape, contra o JEC, voltou a ser elemento surpresa e mostrar faro de gol: tabelou com Rodrigo Gral, invadiu a área e bateu rasteiro para fazer 2 a 0.


A partida já se encaminhava para o intervalo quando o Avaí criou sua primeira chance real na partida. Nádson recebeu na ponta direita, tabelou com Marquinhos e, da entrada da área, bateu forte de esquerda. A bola passou por cima, mas assustou Nivaldo e fez os cerca de 30 torcedores avaianos no Jousé Annoni esboçarem uma reação. Mas a grande torcida da Chape logo abafou os gritos vindos da arquibancada dos visitantes e teria feito uma festa ainda maior se Ronaldo Capixaba, no último lance do primeiro tempo, não tivesse cabeceado para fora o cruzamento.


Avaí muda, não melhora, e Chape goleia


Na segunda etapa, Felipe Alves voltou no lugar de Ricardinho, em uma tentativa de Sérgio Soares de dar mais poder ofensivo ao Leão. No entanto, totalmente dependente dos lançamentos de Marquinhos para a área, o time da Capital seguiu sem incomodar. Somente aos 10 minutos, em cobrança de falta do camisa 10 azurra, Nivaldo foi obrigado a trabalhar.


Quem não teve muito o que fazer foi o goleiro avaiano Aleks. Diante de um Rodrigo Gral inspirado, o goleiro ainda teve que buscar a bola no fundo das redes mais duas vezes. Aos 11 minutos, em nova jogada criada por Fabinho Gaúcho, Gral apreceu nas costas dos zagueiros e, dessa vez de canhota, bateu forte para fazer o seu segundo gol no jogo, o terceiro da Chapecoense. Aos 25, Bruno Rangel, que substituiu Ronaldo Capixaba, aproveitou uma lambança da zaga para fazer o quarto. Enquanto Alex Lima, Cleyton e o goleiro Aleks bateram cabeça, Rangel foi mais esperto, passou na frente dos três e, com o gol aberto, empurrou e saiu para o abraço.


Com quatro gols de desvantagem, o Avaí foi pra cima e, mesmo completamente desorganizado em campo, conseguiu diminuir. Aos 32, Fabinho Gaúcho cometeu pênalti em Rodriguinho. Com raiva, Marquinhos cobrou e diminuiu, mas nem comemorou. Afinal, quem teve motivos para festejar foi a Chapecoense, que teve um jogo mais fácil do que previa, consegui uma goleada e, de quebra, a liderança do Estadual.


FICHA TÉCNICA


CHAPECOENSE (4) Nivaldo; Fabiano, Rafael Lima, André Paulino, Fabinho; Wanderson, Paulinho Dias (Athos), Diego Felipe, Neném; Rodrigo Gral (Athos), Ronaldo Capixaba (Bruno Rangel) Técnico: Gilmar Dal Pozzo


AVAÍ (1) Aleks; Arlan, Alex Lima, Cleyton, Aelson; Alê, Ricardinho (Felipe Alves), Marquinhos; Dinélson, Nadson (Jefferson Maranhão), Rodriguinho (Danilo) Técnico: Sérgio Soares


Gols: Rodrigo Gral, aos 15, e Diego Felipe (C), aos 32 do 1º tempo; Rodrigo Gral (C), aos 10, Bruno Rangel (C), aos 23, e Marquinhos (A), aos 33 minutos do 2º tempo Amarelos: André Paulino e Fabinho Gaúcho (C) Arbitragem: Célio Amorim, auxiliado por Carlos Berkembrock e Ângelo Rudimar Bechi Local: Estádio Josué Annonni, em Xanxerê






DC


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.