Casados há 64 anos, idosos de Vargeão falam sobre o relacionamento

Mesmo depois de tanto tempo, Lydia e José Bonan demonstram respeito e carinho um pelo outro

Por Kiane Berté

12/06/2021 09h19 - Atualizado em 14/06/2021 22h01





Respeito é a palavra que resume um relacionamento duradouro, segundo Lydia Esgaria e José Bonan.

 

A história de amor dos dois começou ainda no colégio, quando ambos eram jovens. Lydia e José, de 84 e 86 anos, estudavam juntos e dividiam conhecimento no mesmo ambiente escolar. No início não passava de amizade, mas o sentimento estava bem guardado no coração dos dois.

 

Frequentadores de festas de comunidade, eles se encontravam para poder dançar juntos durante todo o evento. José conta que Lydia era bastante tímida e por isso o romance dos dois demorou um pouco a acontecer. Até porque, na época, Bonan namorava outra jovem da cidade.

 

Ele acabou se alistando no exército e acabou dando fim ao relacionamento antigo quando suas obrigações como militar terminaram. Esse foi um passo importante para que Bonan reencontrasse Lydia pelo caminho.

 

“Meus pais, no começo, não aceitavam que eu pudesse namorar com Lydia, devido ao preconceito que sentiam com relação a ela. Eu precisei quebrar o preconceito para poder me aproximar dela e isso deu certo. Começamos a nos dar bem e engatamos um namoro que durou dois anos e, logo em seguida, levou ao casamento, em 1958”, conta José.

 

O namoro dos dois era regrado pelos pais de Lydia. Tinha horário para começar e terminar, e conforme José, as visitas à amada ocorriam apenas nos domingos de tarde.

Casal de idosos é exemplo de cumplicidade (Foto: Kiane Berté)

José recebeu a benção do matrimônio pelo padre Nelson Rech, que tinha a mesma idade dele e era seu companheiro de jornada. José tinha 23 anos quando trocou alianças com Lydia, que na época tinha 21.

 

“Éramos muito novos, mas nos amávamos muito. As nossas famílias convidaram toda a comunidade para prestigiar aquele momento importante de nossas vidas e o pavilhão ficou lotado de pessoas”, relembra.

 

A festa durou praticamente o dia todo, iniciando às 15 horas com churrasco para os convidados, seguida de missa e encerrado com um baile de casamento. Um momento único e especial para o casal, que guardou tudo nas fotografias e na lembrança.

 

"O casamento representa união, amor, companheirismo, respeito", destaca dona Lydia.

Família de Lydia e José (Foto: Kiane Berté)

Chegada dos filhos 

 

O relacionamento dos dois seguiu firme e feliz. Não demorou muito para que Lydia engravidasse do primeiro filho.

 

Eram tempos diferentes naquela época e as crianças acabavam nascendo todas em casa. O primeiro a vir ao mundo foi Luiz Carlos, hoje com 62 anos; Flávio Francisco, com 61, veio em seguida.

 

Dois anos após, Paulo Cézar, de 58 anos, chegou à família, se tornando irmão mais velho de Sérgio Antônio, com 56 anos, e que também nasceu com diferença de dois anos do anterior.

 

Para finalizar a árvore genealógica de filhos, a caçula Erony Bonan Thomazzoni, hoje com 55 anos, também veio ao mundo.

 

A família de Lydia e José hoje está estruturada com seis netos: Natalia, José Antônio, Luiza, Gabriel Anélio, Analidia e Paula, totalizando 13 pessoas.

 

"É importante esse companheirismo no nosso dia a dia, pois voltamos a ficar morando eu e o José", finalizou Lydia. 

Filhos do casal (Foto: Kiane Berté)

Este conteúdo tem um oferecimento:


Apreciatta Pizzaria
Relojoaria e Ótica Paza
Loja Potrich
Empório Essenza Chapecó


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.