Termo de cooperação viabiliza educação formal para cerca de cinco mil detentos em SC

Documento tem objetivo de designar professores e apoio pedagógico ao ensino fundamental e médio dos presidiários

Por Oeste Mais

19/06/2019 09:37



Termo foi assinado entre a Secretaria de Estado da Educação e a Secretaria de Estado da Administração Prisional e Socioeducativa (Foto: Osvaldo Nocetti/SED)

A Secretaria de Estado da Educação e a Secretaria de Estado da Administração Prisional e Socioeducativa assinaram nesta semana o Termo de Cooperação Técnica que garante ações de educação para cerca de cinco mil detentos no sistema prisional catarinense.

 

O objetivo é a designação de professores e o apoio pedagógico ao ensino fundamental e médio, por meio dos Centros de Educação de Jovens e Adultos (Ceja) e do Departamento de Administração Prisional (Deap). A vigência do documento é de 40 meses.

 

“Cerca de 400 professores atuam dentro do sistema prisional, com uma demanda por alfabetização de dois mil detentos em um universo de 23 mil em Santa Catarina. O aumento da escolarização é um benefício à sociedade e vemos campo para ampliar nosso trabalho”, avalia o secretário de Estado da Educação, Natalino Uggioni.

 

Outro convênio ainda irá viabilizar a mão de obra dos apenados para reformas de carteiras e cadeiras do mobiliário escolar da rede estadual, em oficinas do sistema prisional do estado. Também está em tratativas a atuação de apenados em algumas funções para unidades educacionais, ligadas à limpeza e à manutenção.


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.