MEC desbloqueia orçamento destinado às universidades e institutos federais

Instituições catarinenses planejam suspender medidas de restrição e retomar atividades que estavam paradas

Por Oeste Mais

19/10/2019 08:10 - Atualizado em 19/10/2019 08:14



IFSC pretende liberar os editais suspensos (Foto: Divulgação)

Com o desbloqueio total no orçamento das universidades e institutos federais anunciado pelo Ministério da Educação nesta sexta-feira, dia 18, as instituições catarinenses planejam suspender medidas de restrição e retomar atividades que estavam paradas. Segundo o ministro da Educação, Abraham Weintraub, foi liberado R$ 1,1 bilhão, R$ 771 milhões para universidades e R$ 336 milhões para institutos federais.

 

A Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) informou em nota que todas as medidas de contenção de gastos serão suspensas a partir da próxima semana. A Administração Central da instituição comunicou que foram liberados para a universidade R$ 29.021.965 milhões no final da tarde desta sexta.

 

O Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC) tem 22 unidades no estado e o bloqueio nos recursos feito em abril deste ano trouxe prejuízos. De acordo com a pró-reitora de Administração da instituição, Aline Heinz Belo, o instituto teve dificuldades para comprar insumos de laboratório e de sala de aula. A assistência estudantil foi prejudicada. Ainda segundo Aline, O IFSC está com três chamadas para novos alunos suspensas, chamadas também de edital de eventos científicos. Após o anúncio do desbloqueio do orçamento, a intenção do instituto é liberar os editais suspensos.

 

Na Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS), a expectativa é a mesma. Na UFFS foram bloqueados R$ 5,8 milhões. Por nota, a universidade informou que, se a verba for liberada, pretende atender as pendências em insumos para laboratórios e áreas experimentais, em auxílio financeiro, editais vigentes e manutenção nos campi.

Com informações do G1


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.