Astronautas dão aulas de física na Estação Espacial Internacional

Caso um professor queira levar esses exemplos para a sala de aula, os vídeos estão no You Tube

13/05/2019 09:08 - Atualizado em 13/05/2019 09:10



No dia 28 de janeiro de 1986, a espaçonave Challenger decolou rumo ao espaço. Apenas 73 segundos depois, sem mal chegar ao céu, ela explodiu e levou consigo seus sete passageiros.

 

Um deles era Christa McAuliffe. Ela era uma civil, sem experiência profissional. Christa era professora de física, convidada para a missão para levar sua profissão para fora da Terra. Ela planejou uma série de aulas, que seriam filmadas diretamente do espaço – mostrando conceitos de física na prática, em uma realidade bem diferente da Terra.

 

Hoje, podemos considerar que sua missão finalmente foi cumprida. Educadores-astronautas passaram um ano na Estação Espacial Internacional gravando vídeos e dando aulas de física – com base nos planos de aula de Christa.

 

Os temas são os mesmos que eram dados pela professora aqui na Terra e que ela planejava levar ao espaço. A diferença é que, por lá, as experiências podem ficar bem mais interessantes.

Falar sobre leis de Newton, por exemplo, ajuda a entender como elas se aplicam em situações com muito menos gravidade, resistência do ar e todo tipo de atrito. O ambiente, portanto, é perfeito para testá-las.

 

Quando uma bola está em movimento no espaço, ela realmente permanece em movimento, ilustrando exatamente o conceito de inércia.

 

Caso um professor aqui da Terra queira levar esses exemplos para a sala de aula, os vídeos podem ser encontrados no canal Nasa Education, no Youtube. Além disso, eles também disponibilizam apostilas gratuitas com um programa de aula e perguntas para os alunos.

 

Christa seria a primeira professora civil a sair da Terra. Ela participaria do programa Um Professor no Espaço, da Nasa. O programa pretendia levar professores ao espaço para que eles pudessem compartilhar suas experiências com alunos posteriormente. Depois do acidente, ele acabou sendo adiado. 30 anos depois, a Nasa promoveu o Um Ano de Educação na Estação em homenagem a Christa. Graças a ela, hoje milhões de alunos podem ter aulas (praticamente) de outro mundo.


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.