VÍDEOS: Alunos fazem apelo para conserto de escola que ficou destruída por vendaval em Vargem Bonita

Há mais de um ano, salão paroquial da cidade foi alugado para atender os mais de 300 estudantes

Por Redação Oeste Mais

18/11/2021 20h01 - Atualizado em 18/11/2021 21h58



Escola de Vargem Bonita foi danificada por chuva forte de granizo em agosto do ano passado (Foto: Divulgação)

Alunos da Escola de Educação Básica Vitório Roman, de Vargem Bonita, no Oeste, procuraram o Oeste Mais para relatar a situação precária em que a unidade de ensino se encontra.

 

Localizada no centro da cidade, a escola atendia turmas de 6º ao 3º ano, com média de 320 alunos, mas está inativa por conta de um vendaval que atingiu o município em agosto do ano passado.

 

De acordo com uma das alunas, a forte chuva de granizo danificou não só o telhado do colégio, como também as janelas de vidro de praticamente todas as salas de aula, como mostram imagens mais abaixo enviadas pelos próprios estudantes.

 

Devido a isso, há mais de um ano a unidade se encontra fechada por conta de alagamentos que ocorreram durante os dias chuvosos. Para agravar a situação, outra chuva de granizo que atingiu Vargem Bonita há cerca de um mês, causou novos estragos no local.

 

O salão paroquial do município foi alugado pelo Estado para que as aulas aconteçam. As salas foram divididas com MDF e estão ativas desde então, com aluguel mensal de R$ 10 mil. Porém, o espaço já se torna pequeno, impedindo que mais salas sejam montadas no ambiente. Além disso, os alunos enfrentam problemas com a acústica do local, com o refeitório e também pela questão da pandemia de Covid-19.

 

Um processo de licitação da reforma da cobertura já foi iniciado, mas até o momento, nada saiu do papel. 

 

Apelo dos alunos

 

Uma conta no Instagram, em nome da escola, foi criada pelo grupo do Grêmio Estudantil para mostrar a realidade em que se encontra a unidade. Em um vídeo postado recentemente, os alunos fazem um apelo às autoridades, pedindo ajuda para conseguirem reestruturar a escola e voltar à normalidade.

 

“Estamos indignados diante da situação, pois não recebemos nenhum tipo de posicionamento de nenhuma parte das autoridades”, comentou a aluna.

 

Confira o vídeo feito pelos alunos:

Cobertura da escola foi furada por forte chuva de granizo (Foto: Divulgação)

O que diz o Estado

 

Em contato com a Secretaria de Estado da Educação, o Oeste Mais recebeu uma nota de esclarecimento sobre a situação. O documento informa que há dois processos licitatórios em andamento para as obras de recuperação da estrutura da escola, que devem ser concluídas neste ano.

 

Confira a nota na íntegra:

 

"A Secretaria de Estado da Educação (SED) esclarece que há dois processos licitatórios em andamento para obras de recuperação da estrutura da EEB Vitório Roman, no município de Vargem Bonita, ambos com previsão de conclusão ainda em 2021.

 

O primeiro processo trata da contratação da empresa que realizará a obra de recuperação da cobertura da escola. Esta licitação está em fase final de conclusão, com contrato assinado e a ser publicado no Diário Oficial do Estado até a próxima semana. Após esta etapa, a ordem de serviço poderá ser emitida e o trabalho será iniciado.

 

O segundo processo está sendo realizado para reforma do sistema elétrico e recuperação do restante da estrutura física. A assinatura do contrato está prevista para o mês de dezembro.

 

Enquanto os processos não estiverem concluídos, os alunos da escola seguem sendo atendidos no modelo híbrido, com aulas remotas e presenciais ministradas em uma estrutura provisória alugada pela SED.

 

A SED reforça que em 2021 reformulou o setor de Infraestrutura e que, somente neste ano, mais de 700 escolas da rede estadual já passaram por intervenção em sua estrutura física, desde obras de manutenção até reforma e ampliação."

 

Salão paroquial de Vargem Bonita é usado como escola há um ano:













COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.