Secretaria de Educação lança curso de Língua Portuguesa para estrangeiros em Chapecó

As aulas já vêm acontecendo há aproximadamente dois meses.

Por Oeste Mais

23/04/2021 09h05 - Atualizado em 23/04/2021 09h05



Lançamento ocorreu na segunda-feira, dia 19 (Fotos: Prefeitura de Chapecó)

Com o objetivo de integrar os imigrantes na comunidade chapecoense, a Secretaria Municipal de Educação lançou nesta semana um curso específico para o Ensino da Língua Portuguesa aos Estrangeiros. O lançamento oficial do curso BRASIMI ocorreu na última segunda-feira, dia 19, porém as aulas já vêm acontecendo há aproximadamente dois meses.

 

Segundo informações da administração municipal, o curso é oferecido na Escola Básica Municipal Paulo Freire e foi pensado como uma forma de acolher e inserir de fato os estrangeiros na comunidade, pois, a demanda de alunos imigrantes aumenta constantemente e a maioria deles não apresenta proficiência em língua portuguesa.

 

Segundo a gestora da instituição, Ivete Isabel Zanella, "é uma ação gratificante e necessária”. O curso é ministrado por professor especializado em trabalhar com língua portuguesa para imigrantes com experiência e perfil para desenvolver o processo pedagógico em alfabetização e letramento para não nativos no Brasil.

 

O BRASIMI une o desejo e a necessidade dos estudantes imigrantes em aprender a língua portuguesa com as aulas planejadas a partir de situações cotidianas para que os mesmos aprendam a nossa língua e nossos costumes de maneira significativa e consciente, diz a professora que atua no curso, Tany Aline Folle.



“Aprender escrever e entender língua portuguesa está me fazendo muito bem, logo que eu trabalhar vou conseguir trazer meu irmão de 16 anos morar aqui também”. destaca Rochelelourdes Dormevil,  uma jovem de 17 anos, imigrante haitiana, que mora com familiares em Chapecó há cerca de 02 anos.

 

O Curso é oferecido de forma gratuita, presencialmente, duas vezes na semana e podem frequentar o curso, alunos estrangeiros matriculados regularmente na EJA e familiares responsáveis por alunos matriculados no sistema de ensino do município de Chapecó.

 

No ensino fundamental, para os menores de 15 anos é realizada uma avaliação agendada com antecedência e simultaneamente a equipe realiza uma entrevista com os familiares, pois, o diferencial oferecido pela Seduc está exatamente no fato de analisar não apenas o conhecimento cognitivo, mas levar em consideração o aspecto sócio emocional do aluno, bem como o contexto familiar, para que possam ser inseridos na turma/ano que for mais adequado de acordo com a realidade.

 

Sobre as avaliações para estudantes estrangeiros, na segunda-feira ocorreu a segunda fase de aplicações, na ocasião foram avaliados cinco estudantes em cinco entrevistas de familiares, distintas para cada história de vida, todos matriculados na Escola Parque Cidadã Leonel de Moura Brizola.

 

“Aqui em Chapecó é muito diferente, os professores dão oportunidade de pensar e tentar melhorar”, diz a estudante Emili Alexandra Sabolla Ramirez de 13 anos que é venezuelana e já passou por outras cidades brasileiras.

 

A professora Maria Ilone Moreira, relata que quando soube que teria estudantes estrangeiros inseridos na turma, foi um incentivo para buscar novos conhecimentos “precisei me reinventar pois, na turma temos três estudantes Venezuelanos e desta forma aprendemos ainda mais sobre a cultura, os gostos e os costumes ao mesmo tempo ensinamos nossa língua e nosso jeito de viver. É gratificante ver o quanto eles evoluíram em tão pouco tempo.”


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.