Amai pede ao Estado reajuste de 15% para cobrir despesas com transporte escolar

Veículos deverão rodar com metade da lotação em virtude da pandemia de Covid-19, entre outras medidas

Por Oeste Mais

16/03/2021 14h05 - Atualizado em 16/03/2021 14h14



A Associação dos Municípios do Alto Irani (Amai) encaminhou um ofício ao governador de Santa Catarina, Carlos Moisés, solicitando reposição de 15% no valor de cada faixa de distância de transporte dos alunos dos 14 municípios que integram a região.

 

O documento é assinado pelo presidente da Amai e prefeito de Faxinal dos Guedes, Gilberto Lazzari. A Secretaria de Estado da Educação ofereceu uma reposição entre 5% e 7%, valor que segundo os prefeitos não cobre o aumento das despesas. O ofício solicita também a inclusão de uma décima parcela repassada pelo Estado, que hoje paga apenas nove e uma fica a cargo dos municípios.

 

Devido à pandemia, os municípios precisaram elaborar Planos de Contingência da Educação, seguindo recomendações do Estado, para a volta às aulas. Uma das alterações é a lotação máxima do veículo, que deve ser de 50%.

 

O transporte também precisa ter higienização diária, além de possuir um profissional auxiliar para monitorar a temperatura dos alunos antes de ingressarem no ônibus. As medidas também implicam em aumento do tempo de trajeto.

 

Outros fatores que encarecem a atividade estão relacionados ao aumento nos valores do combustível, reposição salarial e manutenção das frotas. O pedido é que o Estado mantenha o acréscimo de 50% para os municípios com o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) inferior a 90% do IDH Médio do Estado.


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.