Crianças de Ponte Serrada seguem estudando por grupo de WhatsApp criado por professora

Grupo de estudos foi criado pela professora Eliane Rodrigues Galvão, que dá aula para turma da pré-escola

Por Oeste Mais

24/03/2020 14h50 - Atualizado em 17/04/2020 14h39



Atividades são repassadas em grupo do WhatsApp (Foto: Reprodução)

Com o fechamento das escolas para o enfrentamento e a prevenção do novo coronavírus (Covid-19) em todo o estado de Santa Catarina, os alunos de Ponte Serrada também estão sem frequentar as unidades de ensino. Mas a professora da turma do pré II do Centro de Educação Infantil Pequeno Cidadão, Eliane Rodrigues Galvão, criou um grupo de WhatsApp com os pais dos estudantes para continuar passando as atividades.

 

Os alunos da turma de Eliane ingressarão no próximo ano na primeira série do ensino fundamental. Segundo ela, o objetivo é estar perto dos estudantes e pais e evitar a perda do desenvolvimento pedagógico e da rotina das crianças.

 

+ Professora de Vargeão cria grupo de estudos pelo WhatsApp para manter aprendizado

 

“Como era de costume, eu sempre enviava nas sextas-feiras o tema para os alunos fazerem em casa com os pais. Então, a partir de uma conversa com os pais, acordamos em dar continuidade nas atividades tendo em vista que o próximo ano eles frequentarão a primeira série”, conta Eliane.

Professora passa tarefas e mensagens aos alunos (Foto: Reprodução)

Todo dia no grupo, as mães estão publicando a rotina dos filhos. Além disso, declarações de saudade e carinho entre a turminha são enviadas com frequência. Receitas de massinha de modelar e vários links de histórias são compartilhados e colocados em prática pelos pais.

 

De acordo com a mãe da aluna Luiza Marsango, Simone Pasa, a ideia é essencial para que as crianças não saiam da rotina. “Achei super legal, porque a gente não imagina muito esse recurso na educação infantil. Mas fica mantendo a rotina de todo dia repassar alguma atividade diferente, mesmo que agora esteja em casa", diz.

 

A mamãe do pequeno Rafael Favero, Gabriela De Gregori Favero, relata que a iniciativa acaba sendo uma alternativa para a falta de atividades externas das crianças. “É difícil esse período em que não estão podendo visitar os amiguinhos, tios, avós, nem sair para ir ao parquinho ou andar de bicicleta. Agradecemos a professora Eliane, que nos repassa as atividades, dicas, para fazer em casa com eles”.





Colaboração de Gabriela De Gregori Favero


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.