Combate ao Aedes aegypti é tema de palestras em Ponte Serrada

Estudantes de escolas e creches estão recebendo orientações

Por Jeferson Rubens Coppini

21/03/2016 10h11 - Atualizado em 17/04/2020 14h39



Orientações para combate ao Aedes aegypti são repassadas a alunos em Ponte Serrada (Fotos: Divulgação)

Centenas de crianças já assistiram às palestras de orientação sobre a importância de combate ao mosquito Aedes aegypti, causador da dengue, zika e chikungunya. O trabalho acontece desde a última semana nas unidades de ensino de Ponte Serrada. A ação é realizada pela Secretaria de Saúde do município, através da Vigilância Epidemiológica.

 

A coordenadora do órgão, Eliane Celestrino, já passou pela Escola Antonio Paglia e diversas creches. Nesta semana ela também vai palestrar para alunos do Cras, orientando ainda um grupo de gestantes no dia 14 de abril e estudantes de outras creches e escolas que fizerem a solicitação.

 

Uma das palestras ocorreu no Centro de Educação Infantil Cantinho do Saber, no distrito de Baía Alta, que também desenvolveu outras atividades sobre o assunto. A diretora Delaine Marsando e a equipe de professores trabalharam o projeto “Dengue/Corpo Humano” com turmas do maternal e pré-escola.

 

A conscientização e a importância dos cuidados desde criança, dicas para prevenir a dengue e evitar a reprodução do mosquito estiveram entre as ações, além da palestra com a Vigilância Epidemiológica e uma apresentação do grupo de alunas da Escola Dom Vital. “Foi trabalhado de uma forma lúdica para que as crianças aprendam através da brincadeira e representação”, apontou Delaine.

 

Segundo a Vigilância Epidemiológica de Ponte Serrada, são mantidas 24 armadilhas monitoradas semanalmente, além de 17 pontos estratégicos vistoriados a cada quinzena. Eliane Celestrino ressaltou que ainda não há o registro de focos do mosquito, mas os cuidados devem ser constantes. “Aproveitamos para pedir mais apoio e colaboração da comunidade, o combate é uma responsabilidade de todos”, completou.

 

Orientações para evitar a proliferação do Aedes aegypti:

 

- Evite usar pratos nos vasos de plantas. Se usar, coloque areia até a borda;

- Guarde garrafas com o gargalo virado para baixo;

- Mantenha lixeiras tampadas;

- Deixe os depósitos para guardar água sempre vedados, sem qualquer abertura, principalmente as caixas d’água;

- Plantas como bromélias devem ser evitadas, pois acumulam água;

- Trate a água da piscina com cloro e limpe uma vez por semana;

- Mantenha ralos fechados e desentupidos;

- Lave com escova os potes de comida e de água dos animais no mínimo uma vez por semana;

- Retire a água acumulada em lajes;

- Dê descarga no mínimo uma vez por semana em banheiros pouco usados;

- Mantenha fechada a tampa do vaso sanitário;

- Evite acumular entulho, pois podem se tornar locais de foco do mosquito da dengue;

- Denuncie a existência de possíveis focos de Aedes aegypti para a Secretaria Municipal de Saúde;

- Caso apresente sintomas de dengue, chikungunya ou zika vírus, procure uma unidade de saúde para atendimento.
















COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.