Gás de cozinha ficará mais caro a partir desta terça-feira

Após três meses, Petrobras anunciou reajuste de 1,04% nas refinarias para o botijão de 13 quilos

Por Oeste Mais

05/02/2019 16:48 - Atualizado em 05/02/2019 16:48



A Petrobras ajustou nesta terça-feira, dia 5, o valor do gás de cozinha em 1,04% nas refinarias. Com isso, o botijão de 13 quilos passa a ser vendido aos distribuidores a 25,33 reais por unidade, ante 25,07 reais anteriormente, segundo a companhia.

 

De acordo com a Petrobras, o valor do botijão nas refinarias corresponde a 37% do preço para o consumidor. 16% do preço é de imposto e os outros 44% são por conta das distribuidoras e da revenda.

 

O Sindicato Nacional das Empresas Distribuidoras de Gás Liquefeito de Petróleo (Sindigás)  disse em nota que o reajuste deve ter impacto de entre 0,5% por cento e 1,4% no bolso do consumidor pelo país.  

 

O preço do botijão médio do botijão na semana passada ficou em 69,14 reais no país. Segundo a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). O valor máximo encontrado pelo levantamento foi de 110 reais, na região cento-oeste. 

 

Os preços do gás são revistos a cada três meses pela Petrobras desde janeiro do ano passado. O último aumento foi em novembro, quando o preço do gás subiu 8,5%. Valor do petróleo e o câmbio entram na conta.

 

Antes, a empresa fazia reajustes a cada mês, e a alta pesou no peso da população, principalmente de baixa renda. Em 2017, o preço do gás acumulou alta de 16%, contra um avanço de 2,95% no Índice de Preços Amplos ao Consumidor (IPCA).  No ano passado, o botijão subiu 4,85% e a inflação geral foi de 3,75%. 

 

Mais reajustes

 

Quem usa gás encanado em casa também ficará com a conta mais salgada. Na última semana, a Comgás, concessionária que atende a região metropolitana de São Paulo anunciou aumento de 11% no gás para residência, após reajuste autorizado pelo governo estadual.

Com informações da Veja


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.