Taxa básica de juros chega a 13,75% ao ano, a mais alta desde 2017

Copom elevou a Selic mais uma vez nesta quarta-feira para tentar frear a inflação

Por Redação Oeste Mais

04/08/2022 08h53 - Atualizado em 04/08/2022 08h54



O Comitê de Política Monetária (Copom) elevou mais uma vez a taxa Selic nesta quarta-feira, dia 3, subindo os juros básicos da economia de 13,25% para 13,75% ao ano.

 

A taxa está no maior nível desde janeiro de 2017, quando também estava em 13,75% ao ano. Esse foi o 12º reajuste consecutivo.

 

Em comunicado, o Copom informou que os riscos de a inflação ficar acima das expectativas em prazos mais longos o levaram a decidir por não encerrar o ciclo de alta. No entanto, segundo o texto, o Copom deverá reduzir o ritmo de altas, elevando a taxa em 0,25 ponto no próximo encontro, no fim de setembro.

 

De julho de 2015 a outubro de 2016, a taxa permaneceu em 14,25% ao ano. Depois disso, o Copom voltou a reduzir os juros básicos da economia até que a taxa chegasse a 6,5% ao ano, em março de 2018.

 

A Selic voltou a ser reduzida em agosto de 2019, até alcançar 2% ao ano em agosto de 2020, influenciada pela contração econômica gerada pela pandemia de Covid-19. Esse foi o menor nível da série histórica, iniciada em 1986.

 

Inflação

 

A Selic é o principal instrumento do Banco Central para manter sob controle a inflação oficial, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). Em junho, o indicador fechou em 11,89% no acumulado de 12 meses, no maior nível para o mês desde 2015. No entanto, a prévia da inflação de agosto começa a mostrar desaceleração por causa da queda do preço da energia e da gasolina.

 

A elevação da taxa Selic ajuda a controlar a inflação porque juros maiores encarecem o crédito e desestimulam a produção e o consumo. Por outro lado, taxas mais altas dificultam a recuperação da economia.

Com informações da Agência Brasil


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.