Marca catarinense Hemmer é vendida para Heinz depois de 106 anos na mesma família

Até o momento, a Hemmer Alimentos era administrada pela 5ª geração de Heinrich Hemmer

Por Oeste Mais

23/09/2021 16h20



Com a produção de mostardas, Hemmer se tornou a maior importadora de sementes de mostardas do Brasil (Foto: Hemmer)

A Hemmer Alimentos, companhia fundada em 1915 em Blumenau, no Vale do Itajaí, foi vendida para a marca norte-americana Kraft Heinz. O anúncio da transação foi feito nesta quinta-feira, dia 23, pela empresa compradora. A Hemmer produz e comercializa diversos alimentos em conserva.

 

O negócio ainda precisa de aprovação do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) e o valor total da venda não foi divulgado.

 

Segundo a empresa catarinense, a Hemmer era uma das mais antigas indústrias do Brasil no ramo de alimentos em conserva e, até o momento, era administrada pela 5ª geração do fundador Heinrich Hemmer.

 

Até as 13 horas desta quinta-feira, dia 23, a Hemmer não informou se haverá modificações no catálogo de produtos da empresa, que atualmente conta com cerca de 300 itens. A empresa não se manifestou publicamente sobre o venda da marca.



História da marca

 

Segundo a empresa, em 1915, o empreendedor Heinrich Hemmer começou a elaborar e comercializar o chucrute, conserva de repolho fermentado (sauerkraut). A matéria-prima era o repolho, por ele cultivado e o transporte da cidade feito em carroça. Assim nascia a empresa.

 

De porta em porta usando uma carroça para vender chucrute na vizinhança, a experiência do imigrante Heinrich Hemmer, fundador da marca de alimentos que leva o próprio sobrenome.

 

"Heinrich Hemmer foi um empreendedor, que deixou sua cidade natal, a região da Westafália, Alemanha, em 1886, aos 24 de idade, para se radicar no Badenfurt, um bairro de Blumenau, na época uma colônia abrigava um punhado de imigrantes de alemães, desbravadores, às margens do Rio Itajaí Açú", informa a empresa.

Com informações do G1


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.