Sete montadoras de veículos suspendem produção no Brasil após agravamento da pandemia

Suspensão envolve o desabastecimento de peças no país

Por Oeste Mais

26/03/2021 10h55 - Atualizado em 26/03/2021 10h55



Com o agravamento da pandemia e o desabastecimento de peças no Brasil, sete montadoras de veículos decidiram suspender a produção nos próximos dias: Toyota, Nissan, Volkswagen, Mercedes-Benz, Nissan, Volvo e Scania.

 

A maioria das companhias vai dar férias coletivas aos funcionários que atuam dentro das fábricas e manterá a equipe dos escritórios em home office.

 

As montadoras Nissan e Toyota anunciaram nesta quinta-feira, dia 25, a suspensão de suas atividades no Brasil, onde segundo o Ministério da Saúde, o país tem mais de 300 mil óbitos.

 

Com 5.600 funcionários no Brasil, a Toyota afirmou que tomou a decisão em conjunto com sindicatos de trabalhadores das fábricas paulistas localizadas em São Bernardo do Campo, Sorocaba, Porto Feliz e Indaiatuba.

 

O retorno ao trabalho nas fábricas de São Bernardo do Campo, Sorocaba e Porto Feliz está previsto para 5 de abril e em Indaiatuba, no dia seguinte.

 

Já a Nissan do Brasil vai interromper a produção da planta de Resende, no Rio de Janeiro, entre 26 de março e 9 de abril. Nesse período, os funcionários terão férias coletivas. As atividades devem ser retomadas em 12 de abril.

 

Outras montadoras que informaram a interrupção foram a Volkswagen e a Mercedes-Benz. As empresas também optaram por férias coletivas  para grupos alternados de funcionários, onde também serão mantidas apenas atividades essenciais nas fábricas e os funcionários das áreas administrativas atuarão em trabalho remoto para reduzir a circulação dentro das plantas fabris.

 

"A empresa adota esta medida a fim de preservar a saúde de seus empregados e familiares", disse a Volkswagen em comunicado .

 

Confira outras montadoras que optaram pela interrupção:

 

Renault

 

A Renault do Brasil decidiu interromper a produção no Complexo Ayrton Senna, em São José dos Pinhais (PR), entre 29 de março a 1º de abril.

 

Segundo a montadora, a decisão tem como objetivo "contribuir para o isolamento social neste momento em que diferentes cidades adotaram medidas mais restritivas, e em alinhamento com o Sindicato dos Metalúrgicos de Curitiba."

 

Volvo

 

A Volvo decidiu diminuir em 70% a produção de caminhões na unidade de Curitiba a partir do dia 23 e deve permanecer até o fim do mês.

 

"O motivo é o alto nível de instabilidade na cadeia, global e local, de abastecimento de peças, principalmente semicondutores, combinado com o agravamento da pandemia", informou a Volvo.

 

Scania

 

A montadora sueca Scania vai parar a produção em São Bernardo do Campo, na região do ABC Paulista, a partir do dia 26 de março, com retorno previso para 5 de abril.

 

Segundo o Sindicato dos Metalúrgicos da região de São Bernardo do Campo, a decisão da Scania ocorreu após negociação com a entidade e a parada se deve ao agravamento da pandemia e o consequente colapso no sistema de saúde de todo o país.

Com informações do G1


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.