Em busca da diversificação de suprimentos, SCGÁS realiza terceira chamada pública para aquisição de gás natural

Essa é a terceira chamada pública realizada pela Companhia em um período de dois anos

Por Oeste Mais

04/03/2021 14h56 - Atualizado em 04/03/2021 14h56



A SCGÁS lançou nesta semana, de forma coordenada com outras quatro distribuidoras do Centro-Sul do país, uma chamada pública coordenada para suprimento de gás natural. Essa é a terceira chamada pública realizada pela Companhia em um período de dois anos. 

 

O chamamento incremental anterior da SCGÁS está em fase de análise e visa equacionar a capacidade de entrega da zona de transporte SC2, que abrange os pontos de entrega de Biguaçu até Nova Veneza, no Sul do estado.

 

A chamada pública coordenada, denominada CP22, é mais uma ação coordenada das distribuidoras, e objetiva contribuir com a abertura do mercado de gás natural no país. O edital aceita também propostas de suprimento por meio de biometano, opção de insumo renovável.

 

Entre 2022 e 2023, a CP22 irá contratar, no conjunto das cinco distribuidoras participantes, cerca de 3,5 milhões de m³/dia de gás natural, complementando os volumes já contratados. A partir de 2024, o valor deve ser ainda maior, com potencial de contratação de seis milhões de m³/dia.

 

Os chamamentos realizados pela SCGÁS demonstram as medidas adotadas pela Companhia para atender cada vez mais clientes em Santa Catarina. Até 2025, a SCGÁS projeta levar o gás natural a 15 novas cidades catarinenses.

 

"A chamada pública coordenada visa garantir o suprimento adicional e manter a segurança operacional do nosso sistema de distribuição, considerando a demanda do mercado e nossos projetos de ampliação da oferta. Com a diversificação dos supridores, nosso objetivo também é, no médio prazo, levar um gás natural mais competitivo para cada vez mais regiões do Estado”, afirma Willian Anderson Lehmkuhl, presidente da SCGÁS.


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.