Com expectativa de 550 mil toneladas, Santa Catarina começa colheita da maçã

Produtores catarinenses pretendem retomar o crescimento e ganhar espaço no mercado internacional

Por Oeste Mais

11/02/2021 08h46 - Atualizado em 11/02/2021 08h46



Maior produtora de maçã do Brasil, Santa Catarina espera uma safra de excelente qualidade. Os produtores pretendem retomar o crescimento e ganhar espaço no mercado internacional. 

 

"Estamos aqui para reconhecer o trabalho de todos os produtores rurais. A colheita da maçã é um momento de celebração. Santa Catarina é responsável por mais da metade de toda produção nacional de maçã e boa parte da nossa safra é exportada para vários países. Esse é um produto que agrega valor para nossa economia, que é altamente geradora de empregos e se tornou uma marca registrada do nosso agronegócio", destaca o secretário da Agricultura, Altair Silva.

 

Santa Catarina espera colher mais de 550 mil toneladas de maçã na safra 2020/21, o montante representa metade da produção nacional da fruta. O estado conta com aproximadamente dois mil produtores, basicamente agricultores familiares na região de São Joaquim e Fraiburgo.

 

Principais variedades

 

Em Santa Catarina, as principais variedades produzidas são Gala e Fuji. A safra deve ser marcada por frutas de excelente qualidade e a retomada das vendas para o mercado internacional. Em 2020, o estado faturou US$ 16,5 milhões com os embarques de maçã.

 

"Temos uma produção de boa qualidade, uma fruta colorida e lisa, com grande apelo comercial. Já percebemos uma demanda forte dos mercados internacionais, uma fruta de qualidade excelente e um câmbio atrativo. Esperamos um aumento contundente nas exportações em 2021", destaca o diretor executivo da Associação Brasileira de Produtores de Maçã (ABPM), Moisés Lopes de Albuquerque.

 

Diferencial catarinense

 

Santa Catarina faz parte da única região do mundo a erradicar a Cydia pomonella. A praga, também conhecida como traça da maçã, pode causar grandes prejuízos aos produtores rurais e está longe do território catarinense há quase 10 anos.

 

A Cydia pomonella é considerada o pior inseto praga da fruticultura no mundo e mantê-la fora de Santa Catarina exige um trabalho contínuo do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola de Santa Catarina (Cidasc) e produtores rurais.

 

A abertura de mercados é apenas um dos resultados obtidos após a erradicação da praga, pois a qualidade geral dos frutos também é preservada, uma vez que não é necessário o uso de inseticidas para o controle da doença nos pomares.


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.