Veja calendário de pagamentos do Bolsa Família em 2021

Benefícios de janeiro começarão a ser pagos no próximo dia 18

Por Oeste Mais

05/01/2021 09h23 - Atualizado em 05/01/2021 09h23



A Caixa Econômica Federal divulgou, nesta segunda-feira, dia 4, o calendário de pagamentos do Bolsa Família. Neste mês, o pagamento começa no dia 18 e se estende até o dia 29, de acordo com o último dígito do NIS dos beneficiários.

 

Com o fim do auxílio emergencial, que não foi prorrogado pelo governo, o Bolsa Família passa a ser fundamental para o sustento de milhões de famílias, especialmente em um cenário com 14 milhões de desempregados.

 

A Caixa já definiu também os dias de pagamento do Bolsa Família nos próximos meses, Segundo a instituição, os depósitos ocorrerão sempre nos 10 últimos dias úteis de cada mês, sempre seguindo a ordem do último número do NIS.



Poupança digital

 

Em dezembro, a Caixa começou a migração dos beneficiários que ainda sacam o Bolsa Família exclusivamente com o Cartão Cidadão para a conta poupança social digital. Usada no pagamento do auxílio emergencial, a conta poupança permite o pagamento de boletos e de contas domésticas (como água, luz e gás).

 

A conta poupança digital também permite a realização de compras com cartão de débito virtual pela internet e com código QR (versão avançada do código de barras) em lojas físicas com maquininhas de estabelecimentos parceiros. A poupança digital permite até três transferências gratuitas por mês para qualquer conta bancária.

 

Segundo o cronograma divulgado no fim do ano passado, os beneficiários com NIS de finais 9 e 0 começaram a receber o Bolsa Família pela conta poupança social digital em dezembro. Em janeiro, o pagamento pela plataforma passará a ser feito para os inscritos com NIS de finais 6, 7 e 8.

 

Em fevereiro, a Caixa abrirá contas poupança digitais para os beneficiários de NIS com finais 3, 4 e 5. Em março, será a vez dos inscritos com NIS de finais 1 e 2 e os Grupos Populacionais Tradicionais Específicos (GPTE), categoria que inclui indígenas, quilombolas, ribeirinhos, extrativistas, pescadores artesanais, comunidades tradicionais, agricultores familiares, assentados, acampados e pessoas em situação de rua.

Com informações da Agência Brasil


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.