Pix: nove coisas que você tem de saber antes de se cadastrar no novo sistema de pagamentos

Pix entra em funcionamento dia 16 de novembro e já tem 667 instituições cadastradas

Por Redação Oeste Mais

07/10/2020 10h01 - Atualizado em 07/10/2020 10h01



O Pix, novo sistema de pagamentos instantâneos do Banco Central (BC) teve o início oficial de cadastramentos nesta segunda-feira, dia 5, e essa é a primeira etapa de funcionamento daquilo que promete ser uma revolução no internet banking brasileiro. O Pix entra em funcionamento dia 16 de novembro.

 

Com o Pix, os clientes de qualquer instituição financeira cadastrada no BC podem realizar operações como transferência e pagamentos a qualquer hora do dia independente do expediente bancário. Basta ter a chave de endereçamento da pessoa para quem será enviado o dinheiro e o valor cai na conta dela logo em seguida.

 

Mais de 677 bancos, fintechs e cooperativas já estão cadastrados no Pix e recebendo cadastro de chaves dos clientes que atendem.

 

Quando o Pix vai começar a funcionar?

 

A fase de cadastro das chaves teve início nesta segunda-feira e as operações envolvendo o sistema de open banking do Banco Central terão início no dia 16 de novembro.

 

Como cadastrar as chaves?

 

Para cadastrar a chave de identificação, basta acessar o aplicativo do banco onde você possui conta, procurar o espaço onde está a seção Pix e fazer o registro vinculando número de celular, e-mail, CPF/CNPJ, ou um EVP, uma sequência alfanumérica de 32 dígitos que possibilitará a criação do QR Code e evita que suas informações sejam passadas a desconhecidos.

 

Esses dados ficarão registrados em uma plataforma operada pelo Banco Central, o Diretório Identificador de Contas Transacionais (CICT).

 

Como vai funcionar?

 

O Pix não vai depender do expediente bancário, o que significa que após as 16 horas (horário de encerramento da maioria das agências) todos os pagamentos e transferências vão cair na conta de quem vai receber o dinheiro. Atualmente os valores só caem instantaneamente em transações no mesmo banco, ou em contas digitais, no mais, os usuários ficam dependendo da transferência eletrônica disponível (TED), que leva duas horas para ser compensada, ou o documento de ordem de crédito (DOC), liquidado apenas no dia útil seguinte.

 

As transações poderão ser feitas por meio de QR code, ou com base na chave cadastrada pelo cliente (celular, e-mail, CPF/CNPJ, ou EVP).

 

O Pix só vai funcionar para quem possuir conta no banco?

 

Segundo o Banco Central, o consumidor não precisa ter conta em banco para realizar a transferência. Basta abastecer a carteira digital do Pix, que vai funcionar como uma conta digital, para enviar e receber o dinheiro.

 

Quanto será cobrado por transferência ou pagamento?

 

Os bancos estão proibidos, pelo menos neste primeiro momento, de cobrarem tarifas para pessoas físicas e MEIs (micro empreendedor individual). O BC deixou em aberto a possibilidade de cobrança de tarifas no caso de operações envolvendo empresas, mas isso ficará sob critério dos bancos.

 

Posso cadastrar as chaves em outros bancos?

 

Segundo o Banco Central, os clientes pessoas físicas podem ter cinco chaves para cada conta do qual forem titular, enquanto os clientes pessoa jurídica podem ter 20 chaves para cada conta do qual forem titular.

 

As transações terão um limite de valor?

 

Por enquanto não, mas os bancos poderão estabelecer um valor máximo de pagamentos e transferências como forma de diminuir o risco de fraudes. A tendência é que os bancos sigam os critérios estabelecidos em operações TED e DOC.

 

Qual a vantagem de ter o Pix?

 

O Pix potencializa o que já acontece em bancos digitais e transferências entre contas da mesma instituição, que é a rapidez com quem os valores são recebidos. Ele desamarra a necessidade de os clientes dependerem do expediente bancário para receberem dinheiro e coloca o Brasil na rede das transações 24 horas por dia, inclusive aos finais de semana e feriados. Além disso, não há cobrança de valores extra, como no sistema TED e DOC.

 

Quantas instituições financeiras estarão no Pix?

 

Até o momento, 677 instituições bancárias, entre bancos, fintechs e cooperativas, estão aptas a receberem o cadastro de chaves para o Pix. O Banco Central está atualizando aos poucos a lista de instituições que já foram liberadas e você pode conferir se a sua já está no sistema clicando aqui.

Com informações da Revista Isto É


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.