Setor de serviços de SC apresenta recuperação pelo terceiro mês e cresce acima da média nacional

Recuperação estadual ficou acima do crescimento nacional no volume de serviços em julho

Por Oeste Mais

11/09/2020 15h24



Pelo terceiro mês consecutivo, a Pesquisa Mensal de Serviços, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) trouxe resultados positivos ao estado. O segmento em Santa Catarina cresceu 3,1% em julho frente a junho, com ajuste sazonal, mês em que já havia crescido 4,5%. Em maio a alta foi de 7,3%, em relação a abril. Os dados foram divulgados nesta sexta-feira, dia 11.

 

A recuperação estadual ficou acima do crescimento nacional (2,6%) no volume de serviços em julho. Para o governador Carlos Moisés, esse é mais um indicador que reforça a retomada da economia catarinense. “Nesta semana tivemos pesquisas que mostraram o crescimento no comércio, na indústria e agora no setor de serviços. Nosso foco sempre foi preservar vidas e, com responsabilidade, manter o emprego e renda do catarinense. Esses resultados mostram que estamos no caminho certo”, ressalta.

 

Os dados positivos da variação mensal de julho em SC foram puxados, principalmente, pelos serviços profissionais, administrativos e complementares (14,9%).

 

“Santa Catarina foi um dos primeiros estados a tomar as medidas de prevenção. Os números demonstram que seremos também um dos primeiros a se recuperar, resultado de um trabalho em conjunto com o setor produtivo e sustentado na construção de políticas de desenvolvimento perenes. Os índices positivos contribuem no fortalecimento desta espiral de prosperidade, esperança e confiança”, avalia o secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável, Rogério Siqueira.

 

A pesquisa confirma uma retomada do setor, mas demonstra que o segmento apresenta uma recuperação mais lenta, já que está sendo um dos mais impactados pela pandemia do novo coronavírus. Na comparação com julho do ano passado, o setor de serviços catarinense apresentou queda de 7,4%. No país, a baixa nessa comparação entre junho de 2020 e de 2019 foi ainda maior, alcançando 11,9%.




COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.