Celesc anuncia R$ 1,2 bilhão em investimentos para 2020

Aumento da potência de usina no município de Faxinal dos Guedes está entre as obras

Por Oeste Mais

04/02/2020 08h18 - Atualizado em 17/04/2020 14h39



A Celesc apresentou nesta segunda-feira, dia 3, o orçamento previsto para investimentos e custeio da companhia em 2020. O valor chega a R$ 1,2 bilhão e será aplicado nas áreas de geração, transmissão e distribuição de energia, além do custeio das atividades operacionais e de apoio, de projetos em Pesquisa & Desenvolvimento (P&D) e Eficiência Energética. Os números foram apresentados pelo presidente da Celesc, Cleicio Poleto Martins, em coletiva de imprensa na tarde desta segunda-feira.

 

“A aplicação dos recursos foi planejada de forma estratégica para atender o crescimento do mercado na área de concessão da Celesc, manter e melhorar os serviços e indicadores da empresa”, disse ele. “Para isso, cerca de R$ 354 milhões serão destinados à compra de materiais e à contratação de serviços, enquanto R$ 833 milhões do capital serão destinados à construção, ampliação e modernização de subestações (no Sistema de Alta Tensão) e melhorias nas redes dos sistemas de Média e Baixa Tensão”, completou.

 

Cleicio também disse que a empresa vai dar continuidade ao Programa Celesc Rural — que substitui redes monofásicas por redes trifásicas e instala cabos protegidos, com benefício direto aos produtores catarinenses, responsáveis por cerca de 30% do PIB estadual.

Presidente da Celesc, Cleicio Poleto Martins, em coletiva de imprensa (Foto: Maurício Vieira/Secom)

Ainda dentro do montante destinado a investimentos no sistema em todo o estado, R$ 529 milhões são referentes a recursos próprios e de mercado, e R$ 304,2 milhões provém de empréstimo firmado junto ao Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), aplicados na ampliação, operação, modernização e manutenção do sistema elétrico.

 

Os investimentos no sistema de distribuição incluem, entre outras ações, a ampliação do parque gerador da empresa, em iniciativas como o aumento da potência instalada na usina Celso Ramos, no município de Faxinal dos Guedes, que passará de 5,6 MW para 13,9 MW. A obra, em andamento, está prevista para ser concluída no primeiro semestre de 2021. Também estão sendo desenvolvidos, em fase inicial, os projetos de ampliação da usina Salto Weissbach, em Blumenau, da usina Maruim, em São José, e da Usina Salto Caveiras, em Lages.

 

Parte dos recursos será destinada à conclusão de quatro novas subestações, ampliação de 17 subestações e instalação de cerca de 1,5 mil quilômetros de rede do Programa Celesc Rural.

 

Investimentos por região

 

Núcleo Grande Capital – Florianópolis e região: R$ 80 milhões

? Destaque para a conclusão da Subestação Palhoça Caminho Novo, além da ampliação na capacidade das subestações Biguaçu e Ilha Sul (em Florianópolis) e de melhorias na Subestação Tijucas;

? Celesc Rural: Transformação de redes monofásicas para redes trifásicas.

 

Núcleo Alto Vale – região de Blumenau e Rio do Sul: 100 milhões

? Destaque para a ampliação da capacidade das subestações Blumenau Garcia, Blumenau Bairro da Velha e Ituporanga;

? Celesc Rural: Transformação de redes monofásicas para redes trifásicas e instalação de cabos protegidos.

 

Núcleo Norte – Joinville, Jaraguá do Sul, São Bento do Sul, Mafra e região: 119 milhões

? Destaque para a ampliação da capacidade das subestações Mafra e Jaraguá do Sul Rio da Luz, e de melhorias na Subestação Joinville I;

? Celesc Rural: Transformação de redes monofásicas para redes trifásicas e instalação de cabos protegidos.

 

Núcleo Planalto – Lages e região: 57 milhões

? Destaque para a ampliação da capacidade da Subestação São Joaquim;

? Celesc Rural: Transformações de redes monofásicas para redes trifásicas.

 

Núcleo Meio Oeste – Joaçaba, Videira e região: 53 milhões

? Destaque para a ampliação da capacidade da Subestação Capinzal;

? Celesc Rural: Transformações de redes monofásicas para redes trifásicas.

 

Núcleo Sul – Criciúma, Tubarão e região: 37 milhões

? Destaque para a construção da Subestação Capivari de Baixo e ampliação da capacidade das subestações Laguna, Içara e de melhorias na Subestação Sombrio;

? Celesc Rural: Transformações de redes monofásicas para redes trifásicas.

 

Núcleo Leste – Itajaí e região: 59 milhões

? Destaque para o início das obras de construção das subestações Itajaí Salseiros II e ampliação da capacidade da Subestação Camboriú e de melhorias na Subestação Piçarras.

 

Núcleo Oeste – Chapecó, São Miguel do Oeste, Concórdia e região: 74 milhões

? Destaque para a construção da Subestação Chapecó III – Santo Antônio e para a ampliação da Subestação São José dos Cedros;

? Celesc Rural: Transformações de redes monofásicas para redes trifásicas.


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.