Presidente Bolsonaro descarta aumento do “imposto do pecado”

Mudança na tributação foi sugerida pelo ministro da Economia, Paulo Guedes

Por Redação Oeste Mais

24/01/2020 09h55 - Atualizado em 17/04/2020 14h39



O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta sexta-feira, dia 24, que está descartado aumento de imposto sobre cerveja, cigarro e itens com açúcar.

 

"Paulo Guedes, desculpa, você é meu ministro, te sigo 99%, mas aumento de imposto para cerveja não", afirmou Bolsonaro ao desembarcar em Nova Délhi, na Índia.

 

A mudança na tributação foi sugerida pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, nesta quinta-feira, dia 23.

 

O ministro Guedes está em Davos, na Suíça, onde participa do Fórum Econômico Mundial. Lá, em entrevista à GloboNews, o ministro afirmou que o governo avalia uma cobrança de tributos sobre cigarros, álcool e produtos com açúcar numa eventual proposta de reforma tributária a ser apresentada pela equipe econômica.

 

Segundo Paulo Guedes, o sistema tributário de vários países prevê a cobrança do "imposto do pecado" para diminuir o consumo de cigarros, álcool e produtos com açúcar.

 

"Não tem nada definido, tem um grupo fazendo a reforma tributária. Fala-se de tributos e impostos e existe esse conceito de tributar coisas que fazem mal para a saúde", disse Guedes.

 

Entretanto, o presidente Bolsonaro disse nesta sexta ser contra a proposta. "Não tem como aumentar, não consegue mais aumentar a carga tributária no Brasil. Todo mundo consome algo de açúcar todo dia, não da pra aumentar", complementou o presidente.

Com informações do G1


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.