Contran dá novo prazo para implantação de placas com padrão Mercosul

Agora, cada estado terá um prazo diferente de implantação

03/12/2018 16h19 - Atualizado em 17/04/2020 14h39



Após vaivém judicial, o Conselho Nacional de Trânsito (Contran) deu novo plano para implantação das novas placas de trânsito nos carros.

 

Inicialmente, as placas deveriam ser implementadas em todo o Brasil até 1º de dezembro, mas resolução publicada no Diário Oficial da União desta segunda-feira, dia 3, cria um novo calendário.

 

– Até 3 de dezembro: no Estado do Rio de Janeiro;– Até 10 de dezembro: Amazonas, Espírito Santo, Goiás, Pernambuco e Rondônia;– Até 17 de dezembro: Bahia, Rio Grande do Norte e Rio Grande do Sul;

 

– Até 24 de dezembro: Acre, Alagoas, Maranhão e Paraná e Piauí; – Até 31 de dezembro: Amapá, Ceará, Distrito Federal, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Roraima, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe e Tocantins.

 

O padrão será obrigatório em todos os carros a partir de 2023, mas já valerá para os novos registros e transferências de domicílio a partir de 2018, de acordo com cronograma do Contran. No Rio, o emplacamento já é feito de acordo com as novas regras.

 

Entre as diferenças estão um novo layout, em que o fundo passa dos atuais coloridos para o branco, e a numeração. As cores usadas atualmente, como vermelho para veículos comerciais, estarão presentes nas bordas do novo modelo.

Padrão será obrigatório em todos os carros a partir de 2023, mas já valerá para os novos registros e transferências de domicílio a partir de 2018 (Foto: Paulo Fernandes)

Outra diferença é que as chapas terão chip eletrônico e código de barras bidimensional. O dispositivo eletrônico conterá informações do veículo, que poderão ser acessadas por órgãos como as polícias Federal, Rodoviária Federal e estaduais e a Receita Federal, segundo o Ministério das Cidades, ao qual o Denatran é vinculado.

 

Outra possibilidade é que esse sistema servirá para permitir o acionamento automático de portões e cancelas.

No fim de outubro, o presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministro João Otávio de Noronha, suspendeu a liminar do Tribunal Regional Federal da 1ª região (TRF-1), que suspendia o uso das novas placas de trânsito nos carros.

 

Dias antes, o Contran suspendeu a adoção das novas placas, acatado a liminar do TRF-1.

 

Segundo o Ministério das Cidades, a suspensão poderia gerar prejuízos técnicos e econômicos ao país. A pasta informa que desde 2014 o poder público e a iniciativa privada vêm se preparando para a adesão ao sistema proposto pelo bloco.

Da Veja


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.