Santa Catarina fica atrás apenas de São Paulo na geração de novas vagas de emprego

Estado gerou 9.743 novos empregos com carteira assinada no mês de outubro, segundo o Caged

Por Redação Oeste Mais

23/11/2018 14h12 - Atualizado em 17/04/2020 14h39



Dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgados pelo Ministério do Trabalho nesta semana, indicam que Santa Catarina gerou 9.743 novos empregos com carteira assinada no mês de outubro. Os números colocam o estado como a segunda unidade federativa com maior variação positiva do Brasil no período, atrás apenas de São Paulo, que criou 13.088 novos postos de trabalho.

 

“Proporcionalmente fomos de longe o estado que mais gerou emprego. Isso é fruto da capacidade empreendedora da nossa gente. Da criatividade, da inovação, de tudo que é necessário para o pleno desenvolvimento”, comentou o governador Eduardo Pinho Moreira.

 

Segundo ele, são números para o cidadão catarinense comemorar e ficar ainda mais otimista com relação ao futuro. “Estamos felizes de poder noticiar isso para todo o estado. Se Deus quiser, se continuarmos nesse caminho, Santa Catarina vai ocupar cada vez mais um lugar de destaque no cenário econômico do nosso país”, finalizou.

 

Segundo o Caged, quatro regiões brasileiras criaram empregos com carteira assinada em outubro. O Sul liderou a abertura de vagas, com 25.999 postos, seguido pelo Sudeste (15.988 vagas). Foram abertos 13.426 no Nordeste e 2.379 no Norte. Por causa do peso da agropecuária na economia da região, apenas o Centro Oeste demitiu mais do que contratou, com o fechamento de 59 vagas.

 

Ao todo, o mercado de trabalho brasileiro criou 57.733 empregos com carteira assinada no último mês. É a segunda melhor marca registrada para o período desde outubro de 2013, quando as admissões tinham superado as dispensas em 94.893. Em outubro de 2014, 2015 e 2016, o saldo tinha ficado negativo, com as empresas demitindo mais do que contratando.


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.