Professor de música, Fabio Davila rege quatro corais da região

Profissional reside em Concórdia com o filho de dez anos e vive de música atualmente

Por Kiane Berté

22/11/2019 10:49 - Atualizado em 22/11/2019 11:05



Fabio se dedica à carreira musical desde os 15 anos (Foto: Arquivo pessoal)

Há quem diga que já nasceu com um dom, ou nasceu preparado para fazer determinada coisa na vida, mas nem sempre todas essas pessoas seguem a carreira que sonhavam ou se dedicam o bastante para que ela se desenvolva e se torne algo único.

 

O professor Fabio Jean Davila dos Santos diz que nasceu para ser cantor. Ele não só canta, mas também trabalha com corais da região e dá aulas de violão. Fábio tem 39 anos e reside em Concórdia com o filho de dez, que também já está seguindo os passos do pai, aprendendo tudo sobre a música.

 

O profissional trabalha com música desde os 15 anos de idade, mas foi aos 12 que tudo começou. Ele conta que estudava em um seminário da cidade Luzerna, que na época era distrito de Joaçaba, e foi lá que aprendeu a cantar, tocar violão, e, a partir daí, nunca mais parou. “No seminário acabei aprendendo aquilo que veio a se tornar a minha profissão e o meu ganha-pão pro resto da vida”, comenta.

 

O músico buscou formação aos 19 anos quando se mudou para Joinville. Na cidade, ele se especializou em violão, percussão e especialmente em técnica vocal, que é seu nível avançado.

 

Além da ótima especialização em vocal, outro nível avançado que ele conquistou foi em regência musical. Nessa área, Fábio possui mais de duas mil horas em cursos, não só vocal, mas instrumental.

Alguns dos alunos de Fabio (Foto: Arquivo pessoal)

Trabalho com corais

 

Fabio atualmente rege quatro corais da região Oeste. Ele atua nos corais municipais de Xavantina (Coral Viva Voz), Itá (coral adulto Canta Feliz e outro infantojuvenil chamado de Superfantásticos) e de Ponte Serrada, o coral Shalom.

 

O coral Shalom é um dos mais antigos no currículo de Fabio, e por este motivo se torna um dos mais queridos para ele. “Trabalhamos há quase oito anos juntos, numa relação de amizade, respeito e profissionalismo. Shalom é um coral que evoluiu muito”, revela.

 

Segundo Fabio, trabalhar com corais é algo bem relaxante. Ele diz que chega a ser terapêutico, porque a ligação que tem com os coralistas é muito grande.

Professor dá aulas da violão em Concórdia (Foto: Arquivo pessoal)

Além de reger os quatro corais, onde atente crianças, jovens e idosos, ele é professor de violão em Concórdia, coordenador de prática musical coletiva, é instrumentista e canta em eventos corporativos, como jantares, casamentos e festas.

 

“Para mim a música sempre foi algo muito forte. Ela representa a realização prática da minha vocação, eu nasci para ser cantor, para ser músico e para ensinar. Esses são os ofícios que eu tenho: a intimidade, afinidade e facilidade, e tudo sai com muita naturalidade”.

 

Fabio acredita que a música ainda é muito desvalorizada e, devido a isso, ele precisa trabalhar em diversos lugares para conseguir uma boa renda. “Eu tenho que ser meu promotor, meu empresário, meu tudo para que a coisa aconteça”, comenta.

 

De tanto estar presente no meio musical, Fábio afirma que duas coisas muito importantes fizeram com que sua vida ganhasse algo de bom. “A consciência do poder de influência que a atividade cultural musical tem na formação do caráter, tanto de crianças, quantos de adultos, e também a certeza de que atividade musical levada como profissão é possível, viável e você pode ter uma vida digna exercendo esse ofício desde que se trabalhe muito e com dedicação”, finaliza.


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.