Jovens de Vargeão se dedicam à pintura de muros há dois anos

Dallp, como é chamado, é composto por quatro meninas e uma professora

Por Kiane Berté

18/10/2019 13:46 - Atualizado em 18/10/2019 18:23



Meninas estão há dois anos trabalhando com pinturas (Fotos: Arquivo pessoal)

Desenhar e pintar nem sempre foi uma atividade que todos gostassem de fazer, apesar de encontrarmos os traços da arte no nosso dia a dia, por onde quer que passemos. Vemos arte nas ruas, nas calçadas, paredes, na natureza, e muitas vezes até em nossas casas. 

 

Em Vargeão, um grupo composto por cinco meninas, está levando a arte para mais perto das pessoas nos municípios vizinhos. As jovens, de idades entre 17 e 18 anos, começaram a desenvolver pinturas há dois anos na escola onde estudam.

 

O grupo, batizado como “Dallp Produções Artísticas”, foi montado e é coordenado pela professora Dione Bizzon. A sigla “Dallp” corresponde aos nomes das integrantes: Dione, Ana Julia, Larissa, Livia e Paula. “Minhas artistas, como costumo chamá-las, são responsáveis e dedicadas, e eu adoro elas”, comenta.

 

Dione explica que as meninas estão em fase final na escola e provavelmente vão acabar parando com o projeto, mas segundo ela, novos integrantes vão ser inseridos e o grupo deve continuar. 

Pinturas com diversos desenhos foram realizadas em escolas, muros particulares e empresas (Fotos: Arquivo pessoal)

A arte em parede foi realizado pela primeira vez nas paredes da Escola Kyrana Lacerda, em Vargeão, onde alunos de outras turmas escolheram desenhos aleatórios e coloriram o concreto. Além das paredes, os muros da escola também ganharam cores diferentes. “Eu sempre gostei de desafios, sair da ideia que arte na escola só se faz no papel”, explica a professora.


Misturando magia, vida e emoção, as jovens já realizaram desenhos e pinturas em diversos locais em Vargeão – onde o grupo surgiu – e em cidades vizinhas. 

 

“Começamos na escola e foi ganhando outros espaços de forma muito natural. Não esperávamos que seria assim”, comenta Dione.

 

“Dallp” realizou trabalhos de pintura no espaço “Recanto Verde”, inaugurado na última semana na escola Dom Vital, em Ponte Serrada, onde o lugar acabou sendo depredado por vândalos há três dias. 

 

Um dos trabalhos mais demorados e intensos que o grupo já teve, foi a pintura de cinco painéis de três metros de altura, em um supermercado. As meninas passaram as suas quintas-feiras e sábados, durante três meses, em pé, abaixadas, e com pincel e tinta nas mãos para poder finalizar o trabalho.



Experiência das jovens com o projeto

 

Livia Lando

 

“Quando eu aceitei participar junto com as meninas e a profe do primeiro trabalho eu não tinha muitas expectativas, mas aquela experiência foi muito realizadora, e ainda é, a cada novo trabalho que a gente finaliza. Me aproximou mais desse mundo e fortaleceu meu amor pelo pintura, além de que fortaleceu a amizade entre as constituintes do grupo. Agradeço imensamente pela oportunidade de participar do grupo, e poder deixar minha marca, em traços de tinta e cor, nas paredes e murros mundo afora”.

 

Ana Giulia Paglia

 

"Como diz Leonardo da Vinci “A arte diz o indizível, exprime o inexprimível, traduz o intraduzível”. 
O nosso grupo de pintura tem uma ótima convivência, por estarmos entre amigas, quando pintamos além de realizar um lindo trabalho espalhando cores pelas redondezas, nos divertimos proporcionando momentos únicos. 
Nessa estreita relação com a arte, conseguimos compreender melhor o mundo e torná-lo um pouco mais colorido. Esperamos que quando as pessoas vejam nosso trabalho sintam-se felizes e possam descarregar um pouco o peso do dia a dia."

 

Larissa Bizzon

 

"É uma experiência mágica, pois podemos demonstrar nossos sentimentos e ideias.
Com um pouco de tinta e pincéis conseguimos tornar o mundo mais colorido.
E ver o antes e o depois  é ter certeza que a magia aconteceu, permitindo mudar o nosso olhar de ver e interpretar o mundo.
Na arte todo piso será palco, toda parede mural e a cidade inteira poesia."

 

Paula Bonan

 

"A gente faz o que gosta que é pintar e também sempre aprendemos algo. Minha experiência preferida foi realizar o trabalho no Badotti, íamos todo sábado, no calor e no frio, até com chuva, pintar é uma coisa que desestressa e ao mesmo tempo nos diverte muito."














COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.