Beata morta em SC integra lista de possíveis canonizações e pode se tornar santa

Assassinada com apenas 12 anos de idade, Albertina Berkenbrok se tornou beata ainda em 2007

Por Oeste Mais

14/10/2019 11:12



Albertina Berkenbrok foi assassinada em 1931 (Foto: Divulgação)

A beata Albertina Berkenbrok está na lista do processo previsto pelo vaticano para futuros santos. Conforme o jornal O Globo, a criança que foi morta em Santa Catarina integra um grupo de seis pessoas que nasceram no Brasil e podem ser canonizadas pelo papa Francisco.

 

Albertina nasceu em 1919, em São Luís do Maranhão, e viveu apenas 12 anos. Ela foi assassinada em uma tentativa de estupro no ano de 1931, em Imaruí, no Litoral de Santa Catarina. Seu túmulo virou ponto de peregrinação de fiéis atrás de graças. Se estivesse viva, Albertina teria completado 100 anos no dia 11 de abril de 2019.

 

Depois da canonização de Irmã Dulce, que desde a manhã deste domingo, dia 13, pode ser chamada de “Santa Dulce dos Pobres”, cresce a atenção para os próximos nomes na lista de possíveis futuros santos do Brasil. Irmã Dulce se tornou a primeira santa nascida no Brasil.

 

Albertina Berkenbrok foi beatificada ainda em 2007. A beatificação é o passo anterior à canonização, quando a pessoa passa a ser considerada santa. O Brasil já tem 52 processos de pessoas que viraram beatos pela Igreja Católica, mas dessas, apenas seis nasceram no país — as outras são estrangeiras que viveram e morreram em solo brasileiro.


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.