Jovem que morreu carbonizada em incêndio teria colocado fogo na própria casa, diz filha

Patrícia de Oliveira, de 28 anos, tirou as duas filhas menores de casa antes do fogo começar

Por Redação Oeste Mais

04/08/2022 10h46 - Atualizado em 04/08/2022 10h48



Patrícia de Oliveira morreu em incêndio de residência nesta madrugada (Foto: Divulgação)

A jovem Patrícia de Oliveira, de 28 anos, que morreu carbonizada em um incêndio na madrugada desta quinta-feira, dia 4, em Curitibanos, teria colocado fogo na própria casa, segundo o relato de uma das filhas dela.

 

Ao Oeste Mais, a menina de 12 anos contou que ela, a irmã mais nova, de 8, além de uma amiga que estava na casa no momento, foram acordadas por Patrícia, por volta de 1 hora, que ameaçava colocar fogo na moradia depois de ter discutido com um irmão que vive na casa ao lado.

 

Ainda conforme o relato da menina, a mãe pediu para que elas saíssem da casa e logo acendeu um pedaço de papel no fogão, incendiando a capa do sofá.

 

“A hora que eu saí, tentei acalmar ela, mas ela não quis me ouvir, nem nada. Ela se trancou lá dentro e o fogo já tinha começado [...]”, disse a filha ao Oeste Mais.

 

Logo depois, o Corpo de Bombeiros foi acionado para tentar controlar as chamas. As meninas pediram ajuda para a avó e ao tio para tentar arrombar a porta da casa.

 

“Tentamos de tudo, de tudo. Mas a fumaça estava muito alta”.

Fogo destruiu a residência onde a mulher morava com duas filhas (Foto: Corpo de Bombeiros)

Conforme a filha, Patrícia chegou a desmaiar por conta da forte fumaça no ambiente, o que dificultou ainda mais o socorro.

 

As equipes de resgate chegaram ao local e logo começaram a combater o incêndio, mas o corpo da jovem já foi encontrado carbonizado, após o rescaldo, em um dos cômodos da casa.

 

“Minha mãe era uma pessoa bem doce, amiga e bem calma. Nossa relação era bem boa. Não sei por que ela fez isso”, lamenta a menina, que disse ter ficado chocada com a situação, confirmando que a mãe sofria de depressão.

 

O sepultamento ainda não tem horário definido, segundo a família. O corpo de Patrícia foi levado a Lages e não tem previsão de ser liberado.

 

A jovem Patrícia de Oliveira residia com as duas filhas no bairro Balança. Ela também deixa um menino de 13 anos, que atualmente vive com o pai.


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.