Caminhoneiros prometem greve se governo não cumprir reinvindicações

Diminuição no preço do diesel está entre as solicitações da categoria

Por Redação Oeste Mais

19/10/2021 13h59



Após reunião na última sexta-feira, dia 15, no Rio de Janeiro, um grupo de caminhoneiros prometeu entrar em greve no dia 1º de novembro, caso as reinvidicações propostas pela categoria não sejam atendidas pelo governo Bolsonaro. Eles se declararam em "estado de greve" e deram prazo de 15 dias para o governo apresentar uma solução.

 

Na segunda-feira, dia 18, as associações entregaram uma lista de reinvidicações, entre elas estão a diminuição do preço do diesel, aposentadoria especial para categoria (aos 25 anos de trabalho) e o cumprimento do valor mínimo do frete rodoviário.

 

O documento com reivindicações entregue ao governo é assinado pela Associação Brasileira dos Condutores de Veículos Automotores (Abrava), pelo Conselho Nacional do Transporte Rodoviário de Cargas (CNTRC) e pela Confederação Nacional dos Trabalhadores em Transportes e Logística (CNTTL). De acordo com as entidades, é a primeira vez desde a última greve, em 2018, que as três associações se juntam em um mesmo movimento.

 

O governo não declarou nada sobre o assunto até o momento.

Com informações do Globo.com


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.