Apae de Ponte Serrada desenvolve projeto “horta na escola”

Alimentos farão parte da merenda escolar e serão comercializados para melhoria da horta e passeios com os alunos

Por Oeste Mais

14/10/2021 10h37 - Atualizado em 14/10/2021 10h37



Horta foi desenvolvida em projeto e alunos da Apae realizam o cuidado diário (Fotos: Divulgação)

A equipe da clínica do Caesp – Apae de Ponte Serrada, desenvolveu o projeto “horta na escola”, que tem como foco principal integrar as diversas fontes e recursos de aprendizagem, gerando fonte de observação e pesquisa exigindo uma reflexão diária por parte dos profissionais e alunos envolvidos.

 

Segundo a assistente social Jane Stecanella, a principal motivação do projeto ocorre pela necessidade de adaptação ao currículo funcional ligado a pessoa com deficiência.

 

Além de complementar a merenda escolar, o projeto pode ser um verdadeiro laboratório ao ar livre. Os alunos aprendem na prática temas como o desenvolvimento de plantas, a vida dos insetos, origem dos alimentos, importância da educação alimentar, aprender a cuidar do meio ambiente os colocando em contato com a natureza e mostrando na prática o que podem fazer, os benefícios de consumir alimentos orgânicos, e entre outros.



Os produtos cultivados serão servidos como parte da merenda escolar na instituição. Os alimentos serão ainda comercializados no município a fim de trabalhar o sistema monetário, e o lucro será revertido para melhoria com a horta e passeios com os alunos da instituição.

 

"Queria salientar que a horta estava desativada a mais de seis anos e nossa equipe da clínica e alunos, juntamente com aval e apoio de toda diretoria e voluntários, reativamos e está aí a prova que tudo que almejamos conseguimos basta acreditar", contou Jane Stecanella.

 

Ainda de acordo com a assistente social, o investimento na época da construção foi muito alto para "estar à mercê, sem produção".

 

 

 




COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.