Jovem de 18 anos que morreu atropelada tinha sonho de abrir o próprio salão de beleza

Autor estava embriagado durante depoimento e teve prisão preventiva decretada

Por Oeste Mais

13/10/2021 13h59 - Atualizado em 13/10/2021 14h18



Vanessa foi atropelada e prensada contra um caminhão (Foto: Divulgação)

Juciano Marinho Gomes, de 35 anos, que foi preso por atropelar e matar a jovem Vanessa Machowski, de 18 anos, após assediá-la na rua, disse que o crime aconteceu "sem querer", em depoimento à Polícia Civil. 

 

O caso aconteceu na noite do último domingo, dia 10, em Itajaí, no Litoral Norte de Santa Catarina, e o autor foi preso preventivamente na segunda-feira, dia 11.

 

Conforme o delegado Eduardo Ferraz, Juciano estava embriagado quando foi ouvido no inquérito policial, podendo sentir o forte odor de álcool nele.

 

"A versão que ele [suspeito] deu para a gente é que houve uma discussão com o namorado e a vítima. Não soube dizer por que, estava embriagado na hora. Disse que foi agredido pelo namorado [da vítima] e outras pessoas que estavam ali e, indo embora, acabou atropelando a vítima sem querer", relatou o delegado.

 

O namorado de Vanessa também prestou depoimento. "Disse que ele [suspeito] teria passado e mexido com a menina. Começaram a discutir, o homem entrou no carro, voltou e tentou atropelar os dois, mas acabou atingindo só ela", afirmou Ferraz.

 

O carro de Juciano foi apreendido e vai passar por perícia. O inquérito policial já foi entregue ao Ministério Público de Santa Catarina.

Homem assediou Vanessa e depois discutiu com o namorado dela, vindo a atropelar a jovem (Foto: Divulgação)

'Tinha o sonho de abrir o próprio salão'

 

Vanessa tinha terminado o ensino médio no fim do ano passado e, segundo a tia Léia Oliveira, ela pretendia fazer faculdade de estética, por gostar muito da área da beleza. Outro sonho que a jovem tinha, era de poder abrir o próprio salão.

 

"Sempre muito querida com todos, carinhosa. Ela era extrovertida, sempre fazendo brincadeiras", relatou. "Ela era uma menina que não via maldade nas pessoas. Tanto que ela viu o homicida vindo em direção do caminhão que eles [a jovem e o namorado] estavam, mas nunca imaginou que seria ela própria a vítima", disse a tia.

 

Ela trabalhava como babá de duas crianças e residia em Itajaí há 11 anos. Ainda conforme a tia, a jovem estava namorando há três anos. O corpo de Vanessa foi sepultado na manhã desta terça-feira, dia 12, no Cemitério da Fazenda, em Itajaí.

Com informações do G1


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.