Corpo de segundo bombeiro desaparecido no incêndio do prédio da SSP-RS é localizado

Pouco antes, corpo do tenente Deroci de Almeida havia sido localizado pela equipe de resgate

Por Oeste Mais

22/07/2021 08h24 - Atualizado em 22/07/2021 08h24



Tenente Deroci Almeida e sargento Lúcio Ubirajara de Freitas Munhós (Foto: Divulgação)

O corpo do segundo bombeiro desaparecido no combate ao incêndio que atingiu o prédio da Secretaria de Segurança Pública do Rio Grande do Sul (SSP-RS) foi encontrado no final da noite desta quarta-feira, dia 21. A vítima é o sargento Lúcio Ubirajara de Freitas Munhós.

 

A informação foi confirmada no início da madrugada desta quinta-feira, dia 22, pelo governo estadual em rede social. O corpo foi localizado por volta de 23 horas. O sargento estava de folga e se apresentou voluntariamente para o trabalho no dia do incêndio.

 

corpo do outro bombeiro, tenente Deroci Almeida foi encontrado às 18h30 desta quarta, mas a informação só foi confirmada três horas depois. Ele era o oficial responsável por despachar as viaturas para o combate ao incêndio. Porém, decidiu somar-se aos colegas no local.

 

Sobre o incêndio

 

O incêndio que destruiu parte do prédio da Secretaria de Segurança Pública do RS começou na noite de quarta-feira, dia 14, em Porto Alegre. Partes do terceiro e quarto andares desabaram.

Incêndio no prédio-sede da Secretaria da Segurança Pública (SSP), em Porto Alegre (Foto: Felipe Dalla Valle/Palácio Piratini)

O trabalho de combate às chamas durou toda a madrugada da quinta-feira, dia 15, com sete equipes se revezando no resfriamento das áreas e na busca por contatos sonoros. Foram chamadas todas as unidades da corporação, na capital gaúcha, de cidades vizinhas e até de Santa Maria, na Região Central do RS.

 

Ainda não há informações sobre o que causou o incêndio. No imóvel funcionam os setores administrativos da Segurança Pública: Instituto Geral de Perícias (IGP), Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe), Detran, além do serviço telefônico de 190 da Brigada Militar, que ficou inativo, mas já foi retomado em outro local.

 

Um inquérito foi aberto pela Polícia Civil para investigar as causas e circunstâncias do incêndio. Funcionários que estavam no local antes de ser evacuado já prestaram depoimentos.

Com informações do G1


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.