Incêndio destrói prédio da Secretaria da Segurança Pública no RS e deixa dois bombeiros desaparecidos

Busca pelos bombeiros desparecidos deve iniciar na manhã desta quinta-feira

Por Oeste Mais

15/07/2021 09h09 - Atualizado em 15/07/2021 09h12



Prédio foi consumido pelas chamas (Fotos: Rodrigo Ziebell / GVG/Divulgação)

Um incêndio de grandes proporções atingiu o prédio da Secretaria de Segurança Pública do Rio Grande do Sul (SSP-RS), no final da noite desta quarta-feira, dia 14, em Porto Alegre. Dois bombeiros militares que atuavam no combate às chamas estão desaparecidos. 

 

As informações foram confirmadas pela assessoria de comunicação da pasta que, apesar de ter adiantado a não existência de vítimas do sinistro, confirmou, mais tarde, que dois bombeiros desapareceram em meio ao combate às chamas.

 

As chamas começaram por volta das 22h e, às 23h13, parte do edifício desabou. O fogo foi controlado pouco antes das 5h desta quinta-feira, dia 15. 

 

"Assim que houver condições de adentrar às instalações, serão iniciadas buscas para confirmação de vítimas", disse a SSP pelo Twitter.

 

Conforme informações do comandante-geral do Corpo de Bombeiros, coronel César Eduardo Bonfanti, no início da manhã, chegará auxílio de quatro equipes com cães especializados em busca. Os Bombeiros não divulgaram os nomes dos dois militares no momento. As famílias, segundo o coronel, já têm conhecimento do desaparecimento.

 

“Tínhamos equipe combatendo incêndio interna e externamente. Um dos desaparecidos era o oficial de serviço responsável pela atividade operacional do dia. Outro trabalhava no comando e veio de forma voluntária auxiliar as guarnições. Tivemos 70 militares atuando, mais os que vieram voluntariamente ajudar. É comum fazer combate interno e externo, mas a avaliação é feita na hora devido à característica do incêndio. Quando começa situações de rachadura, é importante o recuo dessas equipes e talvez elas não tiveram a oportunidade de sair em determinado momento. É bem provável que isso tenha acontecido”, relatou o coronel.

 

Ainda não há informações sobre o que teria causado as chamas. O incêndio teria começado no quarto andar, em uma sala da Susepe, mas se alastrou para as demais partes do edifício.



Com informações da Gaúcha ZH


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.