Chuvas significativas enfraquecem efeitos da estiagem em Santa Catarina

No Oeste, Meio-Oeste, Planalto Sul e Serra, apesar de acumulados maiores se comparados a abril e maio, chuva ficou um pouco abaixo da média climatológica para a época

Por Redação Oeste Mais

12/07/2021 17h18 - Atualizado em 12/07/2021 17h18



O novo Boletim Hidrometeorológico Integrado do Estado aponta que os volumes de chuva acima da média em junho, na faixa Leste de Santa Catarina, resultaram no enfraquecimento das condições de estiagem, que completa já dois anos no Estado.

 

No mês de junho, em geral, a precipitação ficou acima da média nas regiões do Médio e Baixo Vale do Itajaí, Grande Florianópolis e Litoral Sul. No Oeste, Meio-Oeste, Planalto Sul e Serra, apesar de acumulados maiores se comparados a abril e maio, a chuva ficou um pouco abaixo da média climatológica para a época, não caracterizando estiagem meteorológica.

 

Dentre os 295 municípios de Santa Catarina, 229 estão em estado de normalidade, 37 de atenção, 9 de alerta e três em situação crítica frente à estiagem. Além disso, 17 cidades não encaminharam informações da situação. Diante disso, o número de municípios com o abastecimento urbano comprometido reduziu em virtude das chuvas em boa parte do estado.
 

"Embora as condições de estiagem tenham tido uma atenuação considerável, técnicos da Agência de Regulação de Serviços Públicos de Santa Catarina (Aresc) continuarão auxiliando no monitoramento, com atenção especial às regiões que ainda não saíram totalmente da criticidade", afirma a gerente de Saneamento da Aresc, Luiza Burgardt.

 

Previsão

 

Nos próximos dias deve voltar a chover de forma mais significativa em Santa Catarina. Com a passagem de frentes frias, os volumes previstos ficam acima dos 100 mm do Meio-Oeste ao Litoral e variam de 50 a 80 mm no Oeste e Extremo-Oeste.



A previsão para o trimestre de julho, agosto e setembro indica que a precipitação seja próxima ou pouco abaixo da média na metade Oeste e próxima ou pouco acima na metade leste de Santa Catarina, sendo mal distribuída e intercalada com períodos mais longos sem chuva.



Ainda tem a perspectiva da permanência e possível retorno do agravamento da estiagem hidrológica, caso seja confirmada a previsão de chuvas abaixo da média e com distribuição irregular nos próximos meses. De acordo com o índice hidrológico (IH) apresentado, não se vislumbra que os níveis dos rios retornem à normalidade até o fim de 2021.


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.