Idoso tenta apagar fogo com pote de sorvete em SC

Casal de idoso estava sozinho na casa no momento em que o incêndio teve início

26/02/2021 15h23 - Atualizado em 26/02/2021 15h36



Um casal de idosos foi surpreendido com um incêndio na casa em que viveu durante a maior parte da vida, na localidade de Urubuquara, em Garuva.

 

As chamas começaram por volta das 8 horas da última quarta-feira, dia 24, e destruíram a casa da Donda Catarina Tomazini, de 78 anos e de Sebastião Silveira, de 95 anos, que tentou apagar as chamas com um pote de sorvete.

 

O casal estava sozinho na casa no momento em que o incêndio teve início, na parte da frente da construção. Com exceção da lavandeira e a varanda feitas de concreto, a residência foi construída com madeiras por conhecidos de Sebastião na década de 1960. Foi ali em que ele criou, ao lado da esposa, os sete filhos que tiveram.

 

"Ela (Catarina) acorda cedo, às 7 horas, e já coloca comida no fogão à lenha. Eles não gostam muito de sair de casa, então a vidinha deles é ficar sentado na varanda e assistindo novela", conta a nora, Marli Paschoal Silvério, de 44 anos.

Ela mora em uma casa que fica ao lado do casal e trabalha em uma empresa do outro lado da rua. A primeira pessoa a perceber a fumaça foi a filha de 13 anos de Marli, que foi acordada pelo cachorro da família. Ela saiu correndo até a casa dos avós e chamou os pais para ajudarem.

 

"Ela foi até lá e viu meu sogro com um potinho de sorvete, enchendo com água na pia e jogando para apagar o fogo", recorda Marli.

Casal de idosos estava sozinho na casa no momento em que o incêndio teve início (Foto: Corpo de Bombeiros)

Idosos não queria deixar a casa

 

Catarina saiu da casa em chamas, mas o marido resistiu em deixar todos os pertences para trás. “Minha casinha”, dizia ele com tristeza e indignação para a família. Sebastião foi convencido a deixar o local e saiu em segurança antes do imóvel ser consumido pelo fogo.

 

A nora acredita que o fogo tenha começado por um curto circuito na fiação, já que a instalação elétrica era antiga. No entanto, apenas um laudo dos bombeiros poderá atestar com segurança o que pode ter dado início ao incêndio.

 

Doações para a reconstrução

 

O casal está instalado provisoriamente na casa de Marli, que começou a organizar um cômodo nos fundos da residência para acolher os sogros. A nora conta que Sebastião tem Alzheimer e, de vez em quando, convida a esposa para voltar para casa.

 

A família agora pede ajuda para quem quiser fazer doações para a reconstrução da vida do casal de idosos. Apenas a geladeira, o fogão e um freezer foram resgatados em tempo da casa. Documentos, roupas e outros pertences foram perdidos. Quem quiser ajudar pode entrar em contato com Marli pelo telefone (47) 9 9281-8912.

 

Quem quiser contribuir, também pode fazer doações em dinheiro por meio de uma vaquinha online. 

Do NSC Total


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.