Trabalhador morre afogado ao tentar atravessar rio no Oeste

Vítima trabalhava na construção de uma cerca de arame às margens do rio Sargento

Por Oeste Mais

24/02/2021 14h15 - Atualizado em 24/02/2021 14h22



Vítima possuía histórico de convulsões, mas não apresentava crises há anos (Foto: Corpo de Bombeiros)

Um homem de 48 anos foi encontrado sem sinais vitais nesta terça-feira, dia 23, em Flor do Sertão, no Oeste de Santa Catarina.  A vítima, de 48 anos, teria se afogado no rio Sargento ao retornar para casa após o trabalho.

 

Segundo os bombeiros, o homem trabalhava com a construção de cerca de arame às margens do rio na segunda-feira, dia 22, quando no fim da tarde informou a outros dois funcionários que iria para casa. 

 

 Por volta das 17h40, ele saiu do local em direção a sua casa. A residência da vítima ficava na outra margem do rio e, por isso, ele teria iniciado a travessia a nado.

 

De acordo com as testemunhas, a vítima pegou uma bolsa que continha três peixes dentro, amarrou na cintura e adentrou na água com calça, botas e sem camisa.

 

Em torno de 15 minutos após o homem sair, as testemunhas pegaram a embarcação a remo e atravessaram o rio para ir às respectivas casas. Cerca de seis metros antes da margem viram as botas da vítima flutuando, mas acreditaram que ele havia perdido durante a travessia.

 

Na terça-feira, dia 23, a vítima não foi trabalhar. Os colegas de trabalho então foram até a residência do homem, onde a esposa informou que o mesmo não havia aparecido para dormir. Em contato com a mãe da vítima e de outros familiares, ninguém o havia visto. 

 

Acionada a equipe de mergulhadores, os socorristas iniciaram as buscas, e encontraram o corpo próximo ao local indicado a uma profundidade de aproximadamente quatro metros.

 

A vítima estava submersa há aproximadamente 20 horas. O corpo ficou aos cuidados da Polícia Militar.

Com informações do ND+


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.