Santa Catarina será o primeiro estado do Sul a implantar biometria neonatal em alta definição

Informações coletadas são enviadas para as autoridades públicas

Por Oeste Mais

25/11/2020 07h50



Plataforma faz captura, análise e exportação de digitais em alta definição (Foto: Divulgação/IGP)

A biometria neonatal está ganhando mercado no Brasil e Santa Catarina já é o quarto estado do país, e o primeiro do Sul, a adotar a tecnologia que foi lançada em agosto deste ano. A solução permite a identificação biométrica ainda na sala de parto e foi desenvolvida pela empresa brasileira Natosafe. No estado, a iniciativa será feita por uma parceria entre a empresa e o Instituto Geral de Perícias (IGP).

 

A plataforma criada pela empresa (INFANT.ID) faz captura, análise e exportação de digitais em alta definição desde o minuto zero de vida de uma criança.

 

As informações coletadas são enviadas para as autoridades públicas. Com isso, aumenta as chances de localizar a criança em caso de troca de bebês e de sequestro. O scanner utilizado pela plataforma foi certificado pelo norte-americano FBI (Federal Bureau of Investigation), a maior agência policial do mundo.

 

A digital em alta definição atende os requisitos de compatibilidade, rastreabilidade, unicidade e segurança da informação, capturando os dados automaticamente através de algoritmos inteligentes. A tecnologia foi desenvolvida para ser usada por maternidades, hospitais, postos de vacinação, clínicas médicas, centros e institutos de identificação, cartórios de registro civil e até no controle de fronteiras.

 

Segurança

 

Na opinião do perito-geral do Instituto Geral de Perícias de Santa Catarina (IGP), Giovani Eduardo Adriano, esta iniciativa inédita trará inúmeros benefícios. “Com certeza será um grande ganho para Santa Catarina. A biometria garantirá o primeiro passo para a cidadania do recém-nascido, além de dar maior segurança à família no momento do parto e posterior a ele também, evitando adoções ilegais, roubos e trocas de bebês”, afirma. Ele também ressalta que com esta iniciativa, o Estado poderá atuar de forma ainda mais preventiva e com eficiência, principalmente para prevenir sequestros e troca de bebês.

 

Em Santa Catarina, as primeiras impressões digitais com a tecnologia da Natosafe serão coletadas em Joinville na Maternidade Darci Vargas e na unidade do IGP. Em Florianópolis, as coletas serão feitas na Ilha Hospital e Maternidade, na Maternidade Carmela Dutra e no IGP.

 

“A plataforma tem alta resolução de imagem e ergonomia, o que permite precisão e facilidade na hora de usar. Essa biometria irá enriquecer um banco de imagens com padrões de alta qualidade, facilitando pesquisas com maior qualidade, contribuindo para a erradicação de sub-registro e garantindo a segurança das crianças brasileiras”, explica o CEO da Natosafe, Ismael Akyiama.


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.