Casan investe R$ 21,2 milhões em ações emergenciais para Chapecó

Principal ação está sendo realizada no Rio Tigre, com captação já aumentada de 230 litros por segundo para 300 l/s

Por Oeste Mais

20/11/2020 09h07



Em conversas com o prefeito Luciano Buligon, o prefeito eleito João Rodrigues e líderes empresariais da região, a Diretoria da Casan fez uma série de anúncios sobre as ações emergenciais para reduzir os efeitos da estiagem no abastecimento urbano de Chapecó.

 

No total, a Companhia anunciou um Plano de Ação de R$ 21,2 milhões, com dez operações prioritárias.

 

A principal ação está sendo realizada no Rio Tigre, com captação já aumentada de 230 litros por segundo para 300 l/s. Outras bombas serão instaladas nos próximos dias para reduzir ainda mais a necessidade do Lajeado São José. Os primeiros resultados já aparecerem. Os técnicos já perceberam que o déficit de água na cidade, que já foi de 20%, hoje é de aproximadamente 6%, reduzindo o número de reclamações no município.

 

"Porém, ainda há a necessidade de manter o rodízio entre bairros", explica o engenheiro Daniel Scharf, Superintendente Regional do Oeste. "A pouca chuva que estava anunciada para domingo, segunda e terça não veio novamente, fazendo com que tenhamos ações de segurança", complementou. 

 

A captação no Rio do Tigre deverá chegar a 400 litros/segundo no final de 2021, conforme anunciou a Presidente Roberta Maas dos Anjos. A Companhia também está reativando um poço no Bairro São Pedro e vai perfurar mais três nos bairros Boa Vista, Esplanada e na Efapi, áreas da cidade que receberão três reservatórios.

 

Paralelo às ações emergenciais, a Casan amplia o trabalho de limpeza e dragagem na barragem do Rio São José, que até outubro era o principal ponto de captação. Nesta semana já é possível perceber os efeitos da atuação das máquinas, abrindo um grande lago de reservação no local. Nas próximas semanas, mais máquinas estarão dragando o local.


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.