Bebê de Ponte Serrada se recupera após se engasgar e ficar seis dias na UTI

Pequeno Nelson Gabriel do Amaral Alves chegou a sofrer paradas cardíacas e ser intubado durante o socorro

Por Jhonatan Coppini

08/08/2020 09h33 - Atualizado em 08/08/2020 10h17



Pai Valdelir segura o filho Nelson após criança se recuperar de engasgo (Foto: Arquivo pessoal)

O pequeno Nelson Gabriel do Amaral Alves tem apenas nove meses de vida, mas já guarda uma grande história de superação. Foram seis dias internado na UTI e mais três em um quarto de hospital para se recuperar de um engasgo sofrido no final da noite de 25 de julho.

 

A família, que mora no Bairro São Sebastião, em Ponte Serrada, comemora a recuperação da criança como se fosse o nascimento de um novo filho. Os pais Valdelir Alves e Cristiane Paz do Amaral nem gostam de pensar no desespero passado.

 

“Foi muito difícil ver o meu filho daquele jeito”, recorda Valdelir.

 

O pai foi chamado pela mãe no final da noite para ajudar a socorrer o filho. Com o apoio de um irmão, que é bombeiro comunitário, Valdelir encaminhou Nelson para os primeiros atendimentos. A mãe conta que o filho estava dormindo, não havia mamado, apenas bebido água horas antes. Sem saber direito como a criança se engasgou, hoje comemora aliviada. “Graças a Deus ele está bem”.

 

De casa para o hospital

 

O médico que atendeu Nelson no Hospital Santa Luzia nem estava de plantão, mas foi chamado às pressas pela experiência com crianças pequenas. Plinio Oliveira Filho lembra ter ido de casa ao hospital em poucos minutos. Ele conta que encontrou o menino com aspecto já roxo, sem respirar. Com a equipe, manobras de desobstrução das vias aéreas foram tentadas, mas sem sucesso.

 

“Suspeitei que a criança tinha feito uma broncoaspiração, que não é só o engasgo. No engasgo fica uma oclusão na via aérea. A broncoaspiração vai de fato alguma coisa dentro do pulmão. Isso causa um quadro pior, principalmente em criança”, explica o profissional.

 

Drama, mas final feliz

 

Com insuficiência respiratória e consequente queda de oxigênio no sangue, o menino precisou ser intubado e colocado em ventilação mecânica. O procedimento foi feito pelo médico do hospital em conjunto com um médico do Samu. “Nesse meio tempo, enquanto nós intubávamos a criança, ela teve uma parada, a gente teve que reanimar ela”, recorda Plínio.

 

Já na UTI, em Chapecó, no dia seguinte, a vítima teve uma nova parada cardíaca. Segundo o médico de Ponte Serrada, ela foi tratada na UTI por uma pneumonia aspirativa, infecção pulmonar causada pela inalação de secreções da boca, de conteúdo estomacal ou ambos. Recebendo antibióticos e sedado por alguns dias, Nelson foi deixando o estado grave e se recuperando.

 

O menino recebeu alta na última terça-feira, dia 4, retornou para Ponte Serrada e foi a uma consulta médica no Posto de Saúde. Segundo Plínio, a criança está bem, sem nenhuma sequela.

 

“Quando voltei para casa, umas três, quatro horas da manhã, fiquei a noite inteira rezando para essa criança ficar bem”, revela ainda ao falar do dia do atendimento.

 

Pais também de duas meninas, Valdelir e Cristiane estampam no rosto a felicidade de novamente ter o caçula bem. O homem aproveita para agradecer à equipe que trabalhou no resgate e atendimento do filho. “Foram todos muito atenciosos”. No mesmo tom, o médico comemora a reabilitação do pequeno paciente. “Foi um trabalho em equipe bem grande, enfermagem do hospital, Corpo de Bombeiros, Samu [...] É algo que emociona”, expressa Plínio.


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.