Engenheiro civil cria aplicativo para ajudar famílias a economizarem nas compras de supermercado

"Pague Menos" serve para pesquisa de preços nos estabelecimentos da região

Por Kiane Berté

16/07/2020 14h32 - Atualizado em 16/07/2020 14h56



O engenheiro civil Gilsimar Cordeiro, de 35 anos, de Irani, sempre teve o sonho de poder ajudar as pessoas. Ele, que diz já ter sofrido muito na infância por não poder ter o direito de fazer escolhas, hoje trabalha para poder levar o melhor aos ideais.

 

Gilsimar trabalhou durante meses em cima de um projeto para desenvolver um aplicativo chamado “Pague Menos”. Com ele, as famílias vão poder ter economia nas compras de supermercado, buscando sempre o melhor preço.

 

“Desde 2016 começamos a desenhar este projeto, no qual fosse possível atingir mais pessoas, e conseguir ajudar na economia nas despesas com alimentação, que corresponde atualmente em média a aproximadamente 30% do gasto mensal das famílias”, explica o criador.

 

Com um investimento de mais de R$ 20 mil, em 2019, Gilsimar começou a colocar em prática o projeto, criando um perfil no Facebook e passando a compartilhar as ofertas dos supermercados da região Oeste.

 

“O sucesso foi tão grande que em apenas três meses excedemos o limite de usuários, nos obrigando a migrar para uma Página. Hoje também estamos no Instagram”, comenta.

Aplicativo está em fase de testes em Irani, mas deve se expandir para toda região Oeste (Foto: Divulgação)

Gilsimar relata que recebeu muitas propostas para receber por propagandas, mas não aceitou porque o projeto no momento é sem fins lucrativos.

 

“Para ter sua oferta publicada, o estabelecimento deve ser de alimentação e estarem devidamente regulamentado, a fim de sermos justos com quem está regularizado”, explica ele sobre os cadastros no aplicativo.

 

Atualmente o aplicativo conta com mais de cinco mil seguidores e está em fase de testes apenas no município de Irani, isso porque, conforme Gilsimar, a demanda leva tempo para efetuar as pesquisas nos estabelecimentos.

 

“Como ele é gratuito inicialmente, não conseguimos custear o trabalho de pesquisadores para uma maior abrangência. Porém sim, o nosso projeto visa em curto espaço de tempo estar em outras cidades da região e em um tempo breve na região Oeste inteira, para isso vamos buscar voluntários no primeiro momento, e logo adiante Investimentos para a nossa expansão”, disse


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.