Governo catarinense pode anular compra de mais 100 respiradores vindos da China

Falta de registro para importação é apontado como problema também na aquisição de equipamentos negociada com a empresa Intelbras

Por Oeste Mais

09/06/2020 09h46 - Atualizado em 09/06/2020 09h48



Depois de não receber os 200 respiradores comprados por R$ 33 milhões junto à empresa Veigamed, o governo estadual pode cancelar a compra de outros 100 ventiladores pulmonares, feita pela empresa catarinense Intelbras.

 

Um parecer da assessoria jurídica da Secretaria de Estado da Saúde recomenda a anulação da dispensa de licitação firmada pelo estado com a Intelbras para a aquisição dos 100 equipamentos, em 31 de março. O valor da compra é de R$ 7,1 milhões, mas Santa Catarina somente pagaria esse valor após a entrega dos equipamentos, o que ainda não ocorreu.

 

A recomendação pela anulação da compra foi divulgada nesta terça-feira, dia 8, em reportagem do portal The Intercept Brasil.

 

Em 21 de maio a Intelbras alegou que havia adquirido os equipamentos na China antes de haver registro de importação na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) em nome de outra empresa, a Exxomed. O caso foi citado na CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) dos respiradores à época por ter um valor menor pago por equipamentos em comparação com o contrato firmado com a empresa Veigamed. O Estado pagaria cerca de R$ 70 mil por respirador na compra feita pela Intelbras, enquanto os equipamentos comprados com a Veigamed custaram R$ 165 mil.

 

A análise jurídica da Secretaria de Saúde se baseia em outro relatório, da Superintendência dos Hospitais Públicos Estaduais, que questiona o fato de a Intelbras não possuir o registro para importação do modelo de respirador VG70, da fabricante chinesa Aeonmed, junto à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

 

Sem esse registro, a Intelbras estaria impedida de importar os respiradores e, segundo o parecer, os equipamentos também não teriam garantia do fabricante.

 

A única empresa que possui registro para importação do VG70 é a Exxomed, de São Carlos, no interior paulista. Questionada pelo estado catarinense, a Exxomed negou qualquer autorização concedida à Intelbras para a aquisição desses respiradores. Foi a empresa também quem alertou a superintendência sobre os riscos de perda de garantia em caso de compra de respiradores sem o registro.

 

A recomendação da assessoria jurídica foi encaminhada para o gabinete do secretário de Estado da Saúde, André Motta Ribeiro, que ainda não se manifestou.

Com informações do Diário Catarinense


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.